12 Verdades Que Precisamos Saber Sobre A Oração (Parte 11)

12 Verdades Que Precisamos Saber Sobre A Oração (Parte 11) - A Intimidade - Por Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Ter intimidade com Deus é o grande objetivo de todo o guerreiro de oração. Quando duas pessoas são íntimas, significa que existe um ambiente de confiança entre elas; significa que há um entendimento mútuo quanto aos sonhos e metas de cada pessoa. Obviamente, também existe amizade pois ninguém é íntimo de alguém a menos que sejam amigos e queiram tudo de bom, um para o outro. Pessoas íntimas se abrem e expõem suas alegrias e tristezas, sabendo que o amigo, sempre fiel, estará com ele nos sorrisos e será um apoio confiável nas lágrimas (Pv 18:24).

VERDADE NÚMERO 11 —  A intimidade.

Deus não mantém o mesmo grau de relacionamento com todas as suas criaturas. Podemos facilmente observar essa verdade tanto com os seres celestiais (Dn 10:21; Lc 1:19; Is 6:2) como aqui mesmo, na terra com os homens. O Senhor é mais próximo de algumas pessoas do que de outras, mesmo entre aqueles que são os seus filhos. Quando se trata de seres humanos, talvez o maior exemplo que temos é o de Moisés: “E falava o Senhor a Moisés face a face, como quem fala com seu amigo” (Êx 33:11). Esta intimidade entre Deus e Moisés ficou ainda mais clara quando os seus irmãos, Arão e Miriã, começaram a insinuar que Deus os tratava da mesma forma. Deus então convocou uma reunião de emergência para eliminar qualquer dúvida quanto a esse ponto: “se entre vós houver profeta, eu, o Senhor, em visão a ele me farei conhecer ou em sonhos falarei com ele. Não é assim com o meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa. Com ele falo face a face, claramente, e não por figuras; pois, ele vê a semelhança do Senhor” (Nm 12:6-8).

“Como podemos manter um relacionamento com o Senhor de tal forma que a sua voz, suas instruções, seus desejos, sejam claramente compreendidos na nossa mente?”

Que todos nós gostaríamos de ter intimidade com Deus, mesmo que não no mesmo nível de Moisés, não há dúvidas. A pergunta lógica é o que podemos fazer para obtermos esta maravilhosa bênção? Como podemos manter um relacionamento com o Senhor de tal forma que a sua voz, suas instruções, seus desejos, sejam claramente compreendidos na nossa mente? A resposta está na mesma passagem bíblica que vemos acima: “o meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa.” A nossa intimidade com Deus é proporcional à fidelidade que demonstramos a ele. Quando procuramos o Senhor de todo o coração, com o intuito de agradá-lo em todo o nosso viver; quando nos afastamos de tudo aquilo que ele não se faz presente, então ele se aproximará de nós como um amigo se aproxima do outro: “Aproximai-vos a Deus, e ele se aproximará a vós” (Tg 4:8).

Esta semana recebemos alguns e-mails de leitores que perguntavam pela mesma coisa, que é como discernir o desejo do Senhor na sua vida. Eles passam por situações difíceis, que causam aflições, e gostariam de ver uma solução vinda de Deus. Assim como eles, milhares de cristãos poderiam se beneficiar grandemente com um relacionamento mais íntimo com Deus, e a forma de conseguirem isto é se separando do mundo. É impossível sermos amigos de Deus e ao mesmo tempo mantermos qualquer amizade com o mundo, pois o Senhor abomina tudo aquilo que há no mundo. Como o nosso irmão João nos disse, se amamos o mundo o amor de Deus não está em nós (1Jo 2:15).

Queridos, permitam-me ser claro neste ponto: compete a nós obtermos intimidade com Deus. Instruções sobre como isso é feito não nos falta na Palavra. Repetidamente, Jesus nos instrui que se não o obedecermos, não o amamos (Jo 14:15); nos instruiu que se não abandonarmos tudo nesta vida por amor a ele, não seríamos dignos de segui-lo (Lc 14:26); nos instruiu que se encontrarmos a nossa vida na terra a perderemos na eternidade (Lc 17:33). O que mais poderia ele nos dizer? Qual é a parte complicada? Não existe complicação, a não ser na mente do servo rebelde, aquele cujo coração foi endurecido (Jo 12:39-40). “Assim diz o Senhor dos Exércitos: voltai para mim, diz o Senhor dos Exércitos, e eu voltarei para vós” (Zc 1:3). Espero te ver no céu.

  1.  Deus já está respondendo.
  2.  Existe um processo em andamento.
  3.  Esperar não é o mesmo que “não fazer nada”.
  4.  Quando ignoramos a resposta.
  5.  Um coração agradecido.
  6.  Um coração humilde.
  7.  Fé vem pelo ouvir.
  8. As ferramentas.
  9. Orando contra principados e potestades.
  10. O poder da persistência.
  11.  A intimidade. (Este Texto)
  12.  O grande plano.