A Cruz Nossa De Cada Dia

A Cruz Nossa De Cada Dia - Por Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

A essência do evangelho é a cruz. A essência da cruz é o sacrifício. A essência do sacrifício é a redenção. A essência da redenção é a graça. A essência da graça é o amor. A essência do amor é Deus.

Leia mais »

O Cristão Santo (Parte 2)

O Cristão Santo (Parte 2) - Por Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Este mundo está passando, sendo pouco a pouco destruído pelo pecado, e nós com ele. Por isso, quando falamos do relacionamento do ser humano com Deus, falamos de restauração. Quando a raça humana foi criada, Deus decidiu fazê-la diferente dos outros seres: “façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança” (Gn 1:26). Certamente Deus não se refere à característica física do homem, já que Deus é espírito (Jo 4:24), mas sim à sua alma. Diferentemente das outras criaturas, após tê-lo moldado da matéria comum – o barro – Deus soprou sobre ele e lhe deu da Sua própria vida. Sendo assim, cada pessoa possui uma vida diretamente ligada à do criador. Quando o sopro retorna à fonte, o homem morre e volta a ser o que era, simples pó (Gn 3:19; Ec 12:7).

Leia mais »

Sofrimento e Sangue

Sofrimento e Sangue - Por Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

É inadmissível que tantos cristãos, pessoas que se dizem salvas por Jesus, não levam a sério a palavra de Deus no que diz respeito à santidade, ao morrer para o mundo e ao abandono do pecado (2Co 7:1; Cl 3:3; Mt 5:48; At 3:19-20). Alguns eu sei que é por pura ignorância, simplesmente por não terem ninguém que os instrua. Possuem líderes inúteis, que não dão o exemplo de vida que deveriam dar. Mas outros ignoram sob o argumento de que estão debaixo da graça. Erroneamente creem que a graça cancela a necessidade da santificação e lhes dá autorização para saciar os desejos da carne (Ro 6:1-3). Chamam isso de liberdade em Cristo (Gl 5:13).

Leia mais »

O Cristão Santo (Parte 1)

O Cristão Santo (Parte 1) - Por Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

O título deste texto é um pouco estranho, confesso. É estranho porque vai contra o entendimento dos dois grupos que constituem o mundo cristão. O primeiro grupo, majoritário, considera um título como esse até ofensivo, pois, eles entendem que tal pessoa – um ser humano santo – simplesmente não existe, é um mito. Por outro lado, o outro grupo, do qual faço parte, também não concorda com esse título porque a frase pressupõe a existência de um cristianismo sem santidade, algo contrário às próprias palavras de Cristo (Mt 5:48; Mt 10:38; Lc 17:33).

Leia mais »