Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 3) – Um Caminho Que se Chamará: “O Caminho de Santidade”.

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 3) - Um Caminho Que se Chamará: “O Caminho de Santidade”. Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Queremos muito ir morar com Deus. Por dois motivos: O primeiro é que não somos felizes neste mundo atual. Não só pessoalmente temos que passar por todos os tipos de sofrimentos, como também temos que presenciar as pessoas que amamos passarem pelos mesmos sofrimentos, se não piores (Jo 16:33). Deus nos prometeu que quando formos morar com ele, os sofrimentos que tanto nos entristecem não mais existirão e que seremos completamente felizes (Ro 8:18; Ap 21:4). O outro motivo, ligado ao primeiro, é que Deus também nos prometeu a vida eterna. Os dois motivos podem parecer o mesmo, mas não são. O que quero dizer é que a promessa não foi que no céu e na nova terra viveríamos felizes por 80, 90 ou 100 anos até morrermos; se fosse essa a promessa, ainda assim seria interessante, mas o fato de incluir a eternidade, ou seja, viver feliz por milhares, milhões, bilhões… de anos, isso a torna irresistível (2Pe 3:13).

Leia mais »

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 2) – Uma Nação Santa, Um Povo Adquirido.

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 2) - Uma Nação Santa, Um Povo Adquirido. - Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Conforme já disse no início desta série, o ser humano realmente se acha muito justo; tanto que frequentemente alguns questionam até mesmo a justiça de Deus, comparando-a com a justiça própria. Um ponto que sempre incomoda alguns é o fato de que Deus não salvará a todos. Eles convenientemente esquecem que o caminho e a porta da salvação sempre foram abertos a qualquer um que queira entrar. Em outras palavras, o Senhor jamais negará a salvação à alma que verdadeiramente queira se salvar (Ap 3:20). Algo que Deus não faz, obviamente, é levar para o céu aqueles que não têm interesse de lá morar. Se o coração da pessoa se encontra aqui, então aqui ela ficará (Cl 3:2). Pessoalmente, não vejo injustiça alguma neste fato. Muito pelo contrário, vejo sim uma incrível demonstração de respeito à escolha da criatura por parte do Criador. No seu destino final, seja céu ou inferno, nunca ouviremos alguém reclamar, dizendo: “Estou aqui contra a minha vontade!”

Leia mais »

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 1) – Santo, Santo, Santo! A Santidade de Deus.

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 1) - Santo, Santo, Santo! A Santidade de Deus Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Um dos maiores erros que nós, cristãos, cometemos continuamente é imaginarmos que existe alguma semelhança na forma como pensamos e agimos e na forma que Deus pensa e age (Is 55:8-9). Essa verdade se aplica em especial à justiça divina. O nosso senso de justiça compara-se com o de Deus da mesma forma que a pequena claridade de uma vela se compara com o brilho ofuscante do sol do meio-dia. Muitos não levam a sério os avisos do Senhor quanto à obediência à sua Santa Palavra. É por causa deste grave erro que milhares entre nós ficarão horrorizados quando muito em breve ouvirem de Cristo que embora imaginavam ser parte dos eleitos, na realidade Jesus nunca os conheceu. Por que Jesus não os conheceu? Porque eles apenas professaram amor a ele, mas na prática não o amaram, pois ignoraram o seu mandamento de morrerem para o eu e viverem apenas para o Senhor (Jo 14:15). Mantiveram as suas vestes contaminadas com os prazeres do mundo (Ap 3:4). Não se santificaram, e sem a santificação ninguém verá a Deus (Hb 12:14).

Leia mais »

A Graça, a Obediência e a Salvação (Parte 4) – Crescendo na Graça. Caindo da Graça.

(Parte 4) A Graça, a Obediência e a Salvação - Crescendo na Graça. Caindo da Graça. Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Concluindo esta série, examinaremos as duas atitudes opostas que o cristão pode assumir em relação à graça. Do lado positivo, veremos que é possível ao servo fiel experimentar mais da graça de Deus, pois a graça do Senhor não é estagnada, mas é sim um dom dinâmico, podendo tanto se desenvolver como se contrair, dependendo do nosso viver. Foi para nos encorajar ao desenvolvimento que o nosso irmão Pedro nos instruiu: “Crescei, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (2Pe 3:18). Do lado negativo, veremos que se negligenciarmos o caminho de santidade repetidamente mencionado na Palavra, corremos o risco de afastarmos da graça, conforme alertado pelo autor de Hebreus: “tendo cuidado de que ninguém se exclua da graça de Deus” (Hb 12:15).

Leia mais »