Deus E O Sofrimento (Parte 3)

DEUS E O SOFRIMENTO (PARTE 3) Por Markus DaSilva - markusdasilva.org

Por Markus DaSilva, Th.D.

Na primeira e segunda partes desta série, lidamos com o inquestionável fato de que Deus, como um ser onipotente, se quisesse, poderia ter criado o mundo sem que fosse possível a entrada do sofrimento. Mais especificamente, explicamos que o mundo atual, assim como é, com toda a sua história passada, presente e futura, é intencional e não acidental. O Senhor não foi surpreendido e forçado a lidar com o sofrimento como algo inesperado. O clímax da história humana, que foi o nascimento, vida, e sacrifício do messias, Jesus, não ocorreu como uma solução para um problema imprevisto, de última hora, mas sim como algo estabelecido muito antes da existência do universo (Ap 13:8). Em outras palavras, a origem do sofrimento, o nosso convívio com ele, e mais importante, a sua permanente extinção, tudo isso faz parte do perfeito plano de Deus para os seus escolhidos (Ef 1:4).

“Apesar de o homem frequentemente trazer para si mesmo, e para os outros, todo o tipo de sofrimento, é comum o Senhor usar a ação humana, ainda que má, como instrumento para o bem entre o seu povo.”

Aqui, é importante salientar que estamos falando do plano de Deus e não do homem. Quero então introduzir um ponto fundamental para o entendimento desse assunto. Existem dois seres influenciando os acontecimentos na terra. O primeiro é o Criador e o segundo a criatura. O primeiro, Deus, domina e controla absolutamente tudo, simplesmente porque é impossível algo ocorrer fora do seu domínio (At 17:25; Mt 10:30). O segundo, o homem, possui uma influência bem menor, se limitando a si mesmo e àqueles com quem convive.

Sim, os anjos caídos também são criaturas e influenciam grandemente as ações humanas que causam uma boa parte dos sofrimentos (1Pd 5:8; Lc 22:3), mas não os incluímos nesta série, pois, já lidamos com esse grupo ad nauseum em vários textos, especialmente no “Vivendo Em Terras Invadidas” parte 1 e parte 2.

Quando o rei Davi cometeu adultério e trouxe para si mesmo todo o sofrimento que geralmente acompanha esse pecado, ele agiu dentro do seu domínio. Dele foi a culpa, dele foram as dores (2Sm 12:13). O seu ato pecaminoso, porém, causou um efeito cascata invadindo o território de outros seres humanos. A consequência do que fez extravasou a sua esfera e causou sofrimento a muitos outros, entre eles o estigma de adúltera de Bate-Seba, o assassinato do marido traído, e a morte prematura do primeiro filho. Mas, observemos que como consequência do erro de Davi, também ocorreu o nascimento daquele que seria um importante personagem na história de Israel, o rei Salomão. Esse quadro mostra claramente a superioridade do domínio de Deus sobre o nosso. Vemos como apesar de o homem frequentemente trazer para si mesmo, e para os outros, todo o tipo de sofrimento, é comum o Senhor usar a ação humana, ainda que má, como instrumento para o bem entre o seu povo (Gn 50:20). Muito embora durante a dor é difícil para quem está envolvido imaginar qualquer benefício ser extraído do episódio.

Queridos, muito mais se pode falar sobre isso. Esta série apenas toca superficialmente na complexidade que é o problema do sofrimento. Mas deixe-me concluir lembrando a vocês que Deus está no controle. Ele sempre esteve e sempre estará (Is 41:10). Jesus nos alertou que teríamos aflições neste mundo (Jo 16:33). Algumas das aflições as procuramos com as próprias mãos, plantamos e colhemos; em outros casos somos inocentes vítimas; e ainda outros, os sofrimentos surgem do nada, sem um aparente culpado. Tendo ou não explicação, todas as aflições nos machucam do mesmo jeito. Mas na mesma sentença, Jesus também nos disse para termos ânimo porque esse mundo de sofrimento já foi vencido por ele. Isso significa que vivemos em um presente que já possui um futuro determinado, um futuro sem aflições, sem sofrimento, sem lágrimas (Ap 21:4). Não existem dúvidas, Ele já venceu o mundo. Como filhos de Deus, tudo o que temos a fazer é, pela fé, aguentar um pouco mais de tempo. Só um pouquinho mais e ouviremos do Senhor: “Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (Mt 25:34). Espero te ver no céu.