Somos Estrangeiros

Por Markus DaSilva, Th.D.

A maior parte da minha vida passou-se fora do meu país de nascimento, longe da minha raiz, longe da minha cultura, da minha língua e de todas as outras coisas que me eram familiares. Quando a bíblia diz que somos estrangeiros, para mim, a identificação vem naturalmente. Sei exatamente o que significa viver em um local transitoriamente. Fisicamente em um lugar, mas com o coração em outro.

“Um problema comum entre o povo de Deus é se sentir demasiadamente confortável vivendo em um ambiente de sofrimento.”

Queridos, aqui não é a nossa residência permanente. Todos os verdadeiros filhos de Deus sabem disso. A presença do Espírito Santo no coração nos causa um mal-estar com o mundo presente; uma firme convicção de que somos estrangeiros (Hb 11:13).

Um problema comum entre o povo de Deus é se sentir demasiadamente confortável vivendo em um ambiente de sofrimento. Assim foi com os Israelitas no Egito, assim tem sido com os servos de Jesus na terra (Nm 11:4-6). Em vez de nos prepararmos para a nossa morada eterna com o Pai, ficamos o tempo todo meditando em como podemos melhorar a nossa situação atual: como conseguir um melhor emprego, uma melhor moradia, uma melhor aparência… e até mesmo em como conseguir uma família melhor daquela que já possuímos. Tudo focado no tempo presente, como se aqui fosse a terra prometida (Ro 12:2).

Amados, “comprem colírio para ungir os seus olhos e poderem enxergar” (Ap 3:18), olhem ao redor. Existe a menor dúvida que o Éden se foi? Por acaso se vê o menor sinal de que vivemos em um paraíso? Certamente que não. Muito pelo contrário. Constantemente sofremos na pele o resultado da nossa rebeldia. Quando pensamos que descansaremos por um longo tempo; quando as coisas parecem estar se acalmando de vez, algo ocorre para nos tirar o sossego (Jo 16:33). Mero pessimismo? Uma atitude negativa? Não! Vocês sabem muito bem que esta é a realidade da presente situação. Parem de procurar pela perfeição onde ela não se encontra.

Irmãos, já prepararam as malas? Assim como tenho feito, gostaria que vocês pensassem mais nesta terra como algo temporário, algo passageiro. Não criem raízes demasiadamente profundas; não se envolvam com os costumes do lugar; não se tornem íntimos com os residentes… pois agindo assim poderão se adaptar, poderão aceitar tudo isto como normal, e daqui a pouco, quando finalmente chegar a hora de partirem, o nosso Mestre poderá concluir que vocês não são mais estrangeiros, e que aqui devem ficar (Fl 2:15; 1Pe 2:11). Espero te ver no céu.