Arquivo da tag: Santidade

(Parte 5) O Sentido da Vida – De Olho No Alvo. [Com Áudio]

Estudo Bíblico - (Parte 5) O Sentido da Vida - De Olho No Alvo - Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio

Por Markus DaSilva, Th.D.

Concluindo esta pequena série, falaremos de qual deve ser a atitude do ser humano depois que ele entendeu qual é o sentido da sua vida. Sim, porque simplesmente saber o que nos espera no final da nossa existência aqui neste planeta não basta, pois, a vida eterna não será dada simplesmente porque ouvimos, mas sim porque praticamos as instruções dadas por Deus na sua Palavra revelada nas Escrituras. Isso foi o que o apóstolo Tiago quis dizer quando escreveu: “E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos” (Tg 1:22). Estamos enganando a nós mesmos quando achamos que as palavras de Jesus podem ser aplicadas de acordo com a nossa conveniência. Nos enganamos quando achamos, como muitos acham, que podemos obedecer em algumas áreas, mas ser mais flexíveis em outras.

Leia mais »

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 5) – Os Puros de Coração Verão a Deus.

Estudo Bíblico sobre a santidade - Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 5) - Os puros de coração verão a Deus. Portanto, Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus” (Mt 5:8) Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Todos se lembram do rompimento da barragem no estado de Minas Gerais, no Brasil. Já faz um certo tempo que isto ocorreu, mas a minha querida mãe continua não confiando no seu filtro caseiro para cozinhar, e muito menos para beber, da água que sai da sua torneira. Apesar do laudo oficial do governo, e da insistência de vários vizinhos, ela crê que a água continua contaminada e que não é suficientemente pura para o consumo, preferindo gastar um pouco da sua aposentaria para comprar água mineral. Contei essa história da água para ilustrar a importância que é manter puro tudo aquilo que é fundamental para a vida humana. Assim como a água, ou o ar que respiramos, Jesus, no sermão da montanha, nos disse que o coração das pessoas que verão a Deus também terá que ser puro: “Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus” (Mt 5:8).

Leia mais »

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 4) – A Santificação e o Pecado.

Estudo Bíblico sobre a santidade - Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 4) - A Santificação e o Pecado. Portanto, sede vós perfeitos, como perfeito é vosso Pai que está nos céus (Mt 5:48). Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Anos atrás ouvi alguém dizer que podia ficar um dia inteiro sem pecar. Essa noite na cama, enquanto o sono não chegava, lembrei desse homem e creio ser muito difícil para a maioria de nós cristãos conseguir esta façanha. Se ele estava se referindo aos pecados mais conhecidos, como matar, roubar, mentir e adulterar, pode até ser que alguém fique sem pecar por 24 horas, mas o pecado vai muito mais além do que a quebra de um dos dez mandamentos. Pecado é tudo na criatura que não reflete a perfeição do Criador. A seriedade do pecado está no fato de que nada imperfeito pode existir perante Deus, que é a plenitude da perfeição; e na realidade, no seu devido tempo, Deus lidará permanentemente com toda a imperfeição que atualmente existe. Se o Senhor não tivesse tido compaixão de nós, e não tivesse separado um pequeno grupo para Jesus (Lc 12:32), nós nem estaríamos aqui, pois Adão e Eva seriam destruídos imediatamente após o primeiro ato de imperfeição do ser humano, que foi a desobediência. Como descendentes de Adão, antes do nosso encontro com Cristo, éramos então seres imperfeitos e filhos da desobediência (Tt 3:3). Foi por isso que Jesus deixou claro que como seus seguidores teríamos que mudar esse quadro: “Portanto, sede vós perfeitos, como perfeito é vosso Pai que está nos céus” (Mt 5:48).

Leia mais »

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 3) – Um Caminho Que se Chamará: “O Caminho de Santidade”.

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 3) - Um Caminho Que se Chamará: “O Caminho de Santidade”. Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Queremos muito ir morar com Deus. Por dois motivos: O primeiro é que não somos felizes neste mundo atual. Não só pessoalmente temos que passar por todos os tipos de sofrimentos, como também temos que presenciar as pessoas que amamos passarem pelos mesmos sofrimentos, se não piores (Jo 16:33). Deus nos prometeu que quando formos morar com ele, os sofrimentos que tanto nos entristecem não mais existirão e que seremos completamente felizes (Ro 8:18; Ap 21:4). O outro motivo, ligado ao primeiro, é que Deus também nos prometeu a vida eterna. Os dois motivos podem parecer o mesmo, mas não são. O que quero dizer é que a promessa não foi que no céu e na nova terra viveríamos felizes por 80, 90 ou 100 anos até morrermos; se fosse essa a promessa, ainda assim seria interessante, mas o fato de incluir a eternidade, ou seja, viver feliz por milhares, milhões, bilhões… de anos, isso a torna irresistível (2Pe 3:13).

Leia mais »

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 2) – Uma Nação Santa, Um Povo Adquirido.

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 2) - Uma Nação Santa, Um Povo Adquirido. - Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Conforme já disse no início desta série, o ser humano realmente se acha muito justo; tanto que frequentemente alguns questionam até mesmo a justiça de Deus, comparando-a com a justiça própria. Um ponto que sempre incomoda alguns é o fato de que Deus não salvará a todos. Eles convenientemente esquecem que o caminho e a porta da salvação sempre foram abertos a qualquer um que queira entrar. Em outras palavras, o Senhor jamais negará a salvação à alma que verdadeiramente queira se salvar (Ap 3:20). Algo que Deus não faz, obviamente, é levar para o céu aqueles que não têm interesse de lá morar. Se o coração da pessoa se encontra aqui, então aqui ela ficará (Cl 3:2). Pessoalmente, não vejo injustiça alguma neste fato. Muito pelo contrário, vejo sim uma incrível demonstração de respeito à escolha da criatura por parte do Criador. No seu destino final, seja céu ou inferno, nunca ouviremos alguém reclamar, dizendo: “Estou aqui contra a minha vontade!”

Leia mais »

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 1) – Santo, Santo, Santo! A Santidade de Deus.

Sem Santidade Ninguém Verá a Deus (Parte 1) - Santo, Santo, Santo! A Santidade de Deus Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Um dos maiores erros que nós, cristãos, cometemos continuamente é imaginarmos que existe alguma semelhança na forma como pensamos e agimos e na forma que Deus pensa e age (Is 55:8-9). Essa verdade se aplica em especial à justiça divina. O nosso senso de justiça compara-se com o de Deus da mesma forma que a pequena claridade de uma vela se compara com o brilho ofuscante do sol do meio-dia. Muitos não levam a sério os avisos do Senhor quanto à obediência à sua Santa Palavra. É por causa deste grave erro que milhares entre nós ficarão horrorizados quando muito em breve ouvirem de Cristo que embora imaginavam ser parte dos eleitos, na realidade Jesus nunca os conheceu. Por que Jesus não os conheceu? Porque eles apenas professaram amor a ele, mas na prática não o amaram, pois ignoraram o seu mandamento de morrerem para o eu e viverem apenas para o Senhor (Jo 14:15). Mantiveram as suas vestes contaminadas com os prazeres do mundo (Ap 3:4). Não se santificaram, e sem a santificação ninguém verá a Deus (Hb 12:14).

Leia mais »

A Graça, a Obediência e a Salvação (Parte 4) – Crescendo na Graça. Caindo da Graça.

(Parte 4) A Graça, a Obediência e a Salvação - Crescendo na Graça. Caindo da Graça. Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Concluindo esta série, examinaremos as duas atitudes opostas que o cristão pode assumir em relação à graça. Do lado positivo, veremos que é possível ao servo fiel experimentar mais da graça de Deus, pois a graça do Senhor não é estagnada, mas é sim um dom dinâmico, podendo tanto se desenvolver como se contrair, dependendo do nosso viver. Foi para nos encorajar ao desenvolvimento que o nosso irmão Pedro nos instruiu: “Crescei, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (2Pe 3:18). Do lado negativo, veremos que se negligenciarmos o caminho de santidade repetidamente mencionado na Palavra, corremos o risco de afastarmos da graça, conforme alertado pelo autor de Hebreus: “tendo cuidado de que ninguém se exclua da graça de Deus” (Hb 12:15).

Leia mais »

A Graça, a Obediência e a Salvação (Parte 3) – Paulo e a Graça. Os apóstolos e a Graça.

A Graça, a Obediência e a Salvação (Parte 3) - Paulo e a Graça. Os apóstolos e a Graça. A salvação é pela graça. Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Conforme expliquei na semana passada, embora Jesus não tenha usado o termo “graça” quando nos ensinou o caminho da salvação, a realidade é que o evangelho de Cristo é o evangelho da graça nos enviado do Pai. Graça, como falamos na primeira parte da série, se trata da maravilhosa dádiva da salvação que nos foi concedida simplesmente porque o Pai se agradou de nós, tal qual Jesus nos disse: “Não temas, ó pequeno rebanho, porque a vosso Pai agradou dar-vos o Reino” (Lc 12:32). A salvação pela graça difere em muito da salvação pela lei cerimonial porque enquanto a graça possui como foco o amor e a bondade de Deus (Jo 3:16), a lei se concentrava na observância dos rituais simbólicos que apontavam para o Messias. Lei esta que se tornou obsoleta (Mt 5:17) com o nascimento, vida e morte de Jesus, o Cristo (Grego: Χριστός – Cristos significa Messias). Por cerca de quatro mil anos, no entanto, Deus honrou todo o adorador sincero que se apoiava na lei para obter a salvação (Lc 1:6; Lc 2:22; Lc 2:39). Lembremos que não apenas a graça, mas também a lei, nos foi dada por Deus.

Leia mais »

A Graça, a Obediência e a Salvação (Parte 2) – Jesus e a Graça. Como Alcançamos a Graça.

(Parte 2) A Graça, a Obediência e a Salvação - Jesus e a Graça. Como Alcançamos a Graça. a Salvação é Pela Graça

Por Markus DaSilva, Th.D.

Começamos esta segunda parte com uma informação que pode ser novidade para alguns: Jesus nunca usou a palavra “graça”. Isso não quer dizer que a salvação não seja pela graça, mas quer dizer sim que Deus esperou até a ascensão do seu filho e o envio do Espírito Santo para que essa verdade fosse revelada aos seus discípulos de uma forma mais clara. Até a vinda de Cristo, a visão que o povo judeu tinha do plano de salvação era bem limitada e confusa, ao ponto de um grande número entre eles nem mesmo aceitasse a ideia de que haverá uma ressurreição dos mortos, limitando os benefícios de servir a Deus somente para a vida presente. Foi por isso que esperavam que a principal função do Messias fosse a restauração de Israel no cenário geopolítico. Esperavam que quando chegasse, ele faria para eles o que o Rei Davi fez para o Israel do passado (Jo 6:15).

Leia mais »

A Graça, a Obediência e a Salvação (Parte 1) – Graça: Uma Breve Introdução No Uso Da Palavra

Estudo Bíblico - A Graça, a Obediência e a Salvação (Parte 1) - Graça: Uma Breve Introdução No Uso Da Palavra - Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Já faz um tempo que tenho desejado escrever uma série sobre a graça e creio que este é o momento. A graça tem sido um dos pontos do cristianismo mais usado e abusado nestes últimos dias. Parte desse abuso tem a ver com a falta de conhecimento do povo sobre o assunto (Os 4:6a). Conhecimento este que deveria vir dos púlpitos e das escolas bíblicas, mas que infelizmente não ocorre. A outra parte está ligada à nossa propensão natural de resistir às instruções de Deus quando elas nos apontam para um caminho diferente daquele que queremos seguir. Procurarei nesta série, com a ajuda do Senhor, explicar para o benefício dos nossos leitores, o que a Palavra de Deus realmente nos ensina sobre a graça, e no processo, eliminar sérios equívocos quanto a como a graça se aplica ao nosso viver como um povo separado e destinado ao Reino de Deus (1Pe 2:9).

Leia mais »