🔊 (Parte 3) Serie: Combatendo as Forças Espirituais. Estudo Nº 3: Os Ataques Sobrenaturais (Algo Estranho) [Com Áudio]

Serie: Combatendo as Forças Espirituais. Estudo Nº 3: Os Ataques Sobrenaturais (Algo Estranho) por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

De todas as armas a disposição de Satanás, esta é a mais possante e difícil de se ver livre. Este é o motivo que começaremos por esta tática, e na sequência da série falaremos das demais. Creio ser a este tipo de ataque que o apóstolo Pedro se referiu quando nos escreveu que não devemos nos surpreender quando algo “estranho”, como uma provação de fogo, vier sobre nós: “Amados, não estranheis a ardente provação que vem sobre vós para vos experimentar, como se coisa estranha vos acontecesse” (1Pe 4:12). O adjetivo “estranho” [Grego: ξένος (ksênós)] denota o fato de que quando sofremos este tipo de provação, não conseguimos entendê-la, da mesma forma que quando ouvimos um “estrangeiro” [Grego: ξένοι (ksênói)] falar em um idioma que não conhecemos, não podemos compreender o que ele está falando. A dificuldade de entendimento não está no tipo de tentação, mas sim na sua intensidade. Ou seja, não é que o diabo esteja nos tentando em algo que nunca fomos tentados, mas sim no fato de que somos tentados com tanta força que nos parece impossível resistir, uma força anormal e que sentimos como que completamente vencidos. Estamos o tempo todo cientes do que está ocorrendo, sabemos que estamos considerando, desejando, ou meditando em algo que não nos beneficia em nada; sabemos que estamos agindo contrário à vontade de Deus, e que se cedermos à tentação nos arrependeremos, mas, mesmo assim, nos vemos levados por esta estranha força. O Apóstolo Paulo possivelmente também pensava no mesmo tipo de tentação ao nos escrever: “vejo outra lei nos meus membros, que guerreia contra a lei do meu entendimento e me leva cativo à lei do pecado” (Ro 7:23). Leia mais »

🔊 (Parte 2) Série: Combatendo as Forças Espirituais. Estudo Nº 2: A Batalha (O Cristão Ingênuo) [Com Áudio]

(Parte 2) Série: Combatendo as Forças Espirituais. Estudo Nº 2: A Batalha (O Cristão Ingênuo)

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Antes de começarmos a lidar com os ataques e contra-ataques existentes nesta guerra espiritual entre as forças do bem e as forças do mal, teremos primeiro que explicar a situação em que uma grande parte do cristianismo se encontra. Muitos dos nossos irmãos, embora se perguntados reconheçam que realmente existe um conflito sendo travado, na prática vivem como pessoas ingênuas, neutras, recusando a tomar partido nessa guerra. São uma espécie de objetores de consciência do mundo espiritual. Ou pior, estes irmãos vivem como civis circulando indevidamente em um campo de batalha, recebendo golpes de todos os lados sem reconhecer de onde vêm ou porquê estão sendo alvos de algo que imaginam não ter qualquer participação; como se fossem vítimas de balas perdidas e os ferimentos que frequentemente sofrem fossem na realidade dirigidos a outros. Realmente eles estão completamente despreparados para o maior conflito que a humanidade já participou, mas despreparados ou não, todos eles se encontram no meio do fogo cruzado do mundo espiritual. Leia mais »

🔊 (Parte 1) Série: Combatendo as Forças Espirituais. Estudo Nº 1: A Batalha (Introdução) [Com Áudio]

Série: Combatendo as Forças Espirituais. Estudo Nº 1: Introdução por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Embora a grande maioria esteja em completa ignorância, a realidade é que todo o ser humano, sem exceção, se encontra engajado na maior e mais importante batalha do universo. A única diferença entre nós é quanto a que lado dessa luta cada um se encontra; não existe neutralidade neste conflito. Independentemente de quem seja, cada um está cumprindo a sua parte nesta batalha espiritual que começou já há muitos anos no céu, quando um poderoso anjo decidiu se rebelar contra o seu Criador e seguir o seu próprio caminho, separando-se assim da única fonte existente de paz; da única fonte existente de felicidade; da única fonte existente de vida. No processo, o anjo conhecido por vários nomes, o nosso inimigo, Satanás, conseguiu convencer um terço das hostes angelicais a se unir a ele, criando assim as forças espirituais do mal que até hoje nos mantém em uma ininterrupta batalha pelo destino final de toda a alma humana: vida eterna ou morte eterna, céu ou inferno. Leia mais »

🔊 (Parte 5) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 5: Num Abrir e Fechar de Olhos [Com Áudio]

(Parte 5) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 5: Num Abrir e Fechar de Olhos

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Dizem que é apenas um mito, mas por anos pensava que realmente os avestruzes enterravam a cabeça na areia sempre que eram ameaçados. Mito ou não, o fato é que este comportamento deu nome a uma atitude conhecida como a síndrome do avestruz, que se refere ao indivíduo que em vez de enfrentar os seus problemas face a face prefere fazer de conta que não existem. Assim se comportam multidões dentro do cristianismo quando se trata de reconhecer como este mundo está passando rapidamente. Milhões dentro das nossas igrejas vivem como se o amanhã estivesse mais que garantido (Tg 4:15; Prv 19:2). Simplesmente persistem em não aceitar o fato de que a qualquer momento, num abrir e fechar de olhos, deixaremos este mundo, e assim seguem vivendo em completa insensatez. Jesus nos alertou quanto a esse tipo de atitude: “Insensato, esta noite te pedirão a tua alma” (Lc 12:20). Ver também: Jó 27:8; Mt 24:43; 1Co 15:52; 1Ts 5:2; Ap 16:15. Leia mais »

🔊 (Parte 4) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 4: O Homem e o Tempo [Com Áudio]

(Parte 4) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 4: O Homem e o Tempo por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

No estudo anterior, quando falamos sobre Deus e o Tempo, explicamos que o Senhor criou o tempo de tal forma que cada uma das divisões — passado, presente e futuro — possui a sua própria realidade: o passado possui uma realidade relativa; o presente possui uma realidade infinita, contínua e eterna; e o futuro possui uma realidade em potencial. Explicamos em detalhes cada uma delas. Para este estudo, aprofundaremos um pouco mais na realidade do futuro. Conforme já explicado, a realidade do futuro é em potencial porque o futuro que se espera só virá a ser real se ele realmente ocorrer no presente. Isto é bem óbvio. Por exemplo: vários anos atrás, me recordo que a minha mãe, sem o meu conhecimento, empenhou um imóvel com o objetivo de ajudar a uma pessoa em um projeto. Minha mãe esperava o retorno do dinheiro em questão de meses para assim pagar o empréstimo e manter o imóvel. O dinheiro, porém, nunca foi pago e ela perdeu o imóvel para o credor. Essa transação, quando realizada, foi baseada em um futuro em potencial, como todos os futuros. Caso o pagamento fosse feito no tempo previsto então o futuro teria sido real, mas isso não ocorreu, neste caso o futuro foi falso, conforme o próprio Senhor nos ensinou quando se referiu aos falsos profetas: “Quando o profeta falar em nome do Senhor e tal palavra não se cumprir, nem suceder assim, esta é a palavra que o Senhor não falou; com presunção a falou o profeta; não o temerás” (Dt 18:22). Leia mais »

🔊 (Parte 3) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 3: Deus e o Tempo [Com Áudio]

(Parte 3) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 3: Deus e o Tempo por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Uma das dúvidas mais comuns entre os cristãos é quanto aos planos de Deus para a nossa vida. A razão da dúvida é óbvia. Se tão somente a pessoa que teme a Deus soubesse de antemão todo o bem que Deus antecipou para ela no decorrer da sua vida, então ela evitaria uma série de más decisões cujas consequências, em muitos casos, são devastadoras: “Faze-me saber o caminho que devo seguir, porque a ti elevo a minha alma” (Sl 143:8). Esta não é por acaso uma dúvida sensata? Sim, querer saber os planos de Deus para a nossa própria vida é algo sensato, e a resposta está ligada ao tempo. Mais especificamente à relação entre o futuro e o presente do cristão. Ou seja, hoje, no presente, o cristão gostaria de ter uma ideia quanto àquilo que Deus planejou para ele nos anos que ainda lhe restam nesta vida. Este estudo e o próximo lidam com este tópico. Adianto, porém, que o “tempo” não é um tema fácil de lidar. Este é um assunto que filósofos e teólogos no decorrer da história humana procuraram e ainda procuram entender. Mas aquilo que é complicado para o homem, é simples para Deus e com a Sua ajuda entenderemos pelo menos o necessário para que saibamos como transformar o nosso presente incerto no maravilhoso futuro que o Senhor planejou para aqueles o amam: “Pois eu bem sei os planos que estou projetando para vós, diz o Senhor; planos de paz, e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança” (Jr 29:11). Leia mais »

🔊 (Parte 2) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 2: O Vazio dos Prazeres [Com Áudio]

(Parte 2) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 2: O Vazio dos Prazeres por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Iniciamos esta série semana passada, estabelecendo a base para este segmento sobre os prazeres do mundo. Creio termos feito um bom trabalho, deixando bem claro para os nossos leitores que não existe nenhum pecado no fato de desejarmos usufruir muitos dos prazeres que Deus fez questão de inserir no nosso código genético, representado pelas muitas árvores que Deus colocou no Jardim do Éden para nos satisfazer. Também deixamos claro que o pecado ocorre quando colocamos os nossos desejos acima dos desejos revelados de Deus. Se Deus nunca tivesse expressado o seu desejo a Adão e Eva em relação a uma das árvores, então os nossos pais não seriam culpados de qualquer pecado caso comecem da dita árvore. Isto foi o que o nosso irmão Paulo nos escreveu: “eu não saberia o que é o pecado se não fosse pela lei [os mandamentos de Deus]” (Ro 7:7. Ver também Jo 9:41; Lc 12:47-48; Tg 4:7). Infelizmente, porém, este não foi o caso pois sabiam que estavam agindo contrário ao desejo de Deus. Ou seja, satisfazer ao próprio desejo de experimentar o prazer de comer da fruta da árvore da ciência do bem e do mal foi mais importante para eles do que satisfazer ao desejo do Criador que não a comessem. Leia mais »

🔊 (Parte 1) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 1: Os Prazeres do Mundo [Com Áudio]

(Parte 1) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 1: Os Prazeres do Mundo por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Os três maiores escritores do Novo Testamento: João, Pedro e Paulo, receberam a inspiração de Deus para nos alertar quanto a um dos pontos mais importantes da nossa vida atual, que é o fato de que o mundo, sim, este mundo que tanto valorizamos, está passando: “Ora, o mundo está passando, e com ele os seus desejosΩ” (1Jo 2:17. Ver também: 1Co 7:31; 1Pe 1:24; 1Pe 4:7). Este alerta é extremamente necessário simplesmente porque, apesar de ser tão óbvio, frequentemente esquecemos desta realidade e seguimos vivendo como se o mundo presente fosse fixo. Insistimos em amar a este mundo, desejando e usufruindo dos seus prazeres, como se não soubéssemos que a cada segundo estamos mais próximos de encerrarmos a nossa passagem por aqui. Isto foi o que Davi quis dizer com as palavras: “Eis que mediste os meus dias a palmos; o tempo da minha vida é como que nada diante de ti” (Sl 39:5).
————
Ω[Desejo → Grego: ἐπιθυμία (epithumia) cobiça, desejo, muita vontade, fervorosamente, impulsos, luxúria, tara]. Leia mais »

🔊 (Parte 6) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 6: O Inferno [Com Áudio]

Estudo Bíblico - (Parte 6) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 6: O Inferno

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Acreditem! Infelizmente o inferno é bem real. Embora não sabemos a sua localização geográfica, o local realmente existe e será a habitação permanente para todos os demônios e para a maior parte dos seres humanos. Quando perguntado se poucos seriam salvos para o Reino de Deus, Jesus foi categórico no sim, confirmando que de fato poucos conseguiriam se salvar: “porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz para a perdiçãoΩ, muitos são os que entram por ela” (Mt 7:13).
————
Ω [Perdição→ Grego: ἀπώλεια (apóleia) perdição, destruição, perda, ruína, morte, ruína eterna] Leia mais »

🔊 (Parte 5) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 5: A Morte Eterna [Com Áudio]

(Parte 5) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 5: A Morte Eterna por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

A morte é um processo único, universal, inevitável e que consiste de três fases: conclusão, transição e transformação. Jesus exemplificou este processo através da sua própria missão como o Messias: “Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto” (Jo 12:24). Quando morremos, concluímos a fase inicial da nossa existência, que é a nossa rápida passagem por este mundo dominado pelo pecado. Entramos então por um período de transição, saindo da fase temporária e fisicamente limitada para a fase permanente com um novo tipo de corpo e sem muitas das limitações atuais (Lc 24:39; Jo 20:19; Lc 24:30-31). Seremos transformados (1Co 15:53). Todos os seres humanos seguirão existindo após deixarem este mundo, podendo ser tanto a existência com a fonte da vida, que é Deus (vida eterna), ou a existência sem a fonte da vida (morte eterna). O nosso irmão Paulo nos escreveu sobre esse segundo grupo: “os quais sofrerão, como castigo, a morteΩ eterna, banidos da face do senhor” (2Ts 1:9). Se a vida eterna é de fato consciente e sem término, a morte eterna também o é, uma vez que Jesus nunca fez distinção quanto às suas durações, utilizando da mesma palavra para definir ambas: “E estes irão para o castigo eterno [Grego: αἰώνιος (aiónios)], mas os justos para a vida eterna [Grego: αἰώνιος (aiónios)]” (Mt 25:46). Lembrando que a palavra “castigo” no original [κόλασις (colasis)] também traz consigo a ideia de tormento ou agonia (ver uso em 1Jo 4:18).
————
Ω[Morte → Grego: ὀλέθριος (olethros) morte, ruína, perdição, destruição] Leia mais »

E conhecereis a verdade…