🔊 (Parte 2) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 2: O Vazio dos Prazeres [Com Áudio]

(Parte 2) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 2: O Vazio dos Prazeres por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Iniciamos esta série semana passada, estabelecendo a base para este segmento sobre os prazeres do mundo. Creio termos feito um bom trabalho, deixando bem claro para os nossos leitores que não existe nenhum pecado no fato de desejarmos usufruir muitos dos prazeres que Deus fez questão de inserir no nosso código genético, representado pelas muitas árvores que Deus colocou no Jardim do Éden para nos satisfazer. Também deixamos claro que o pecado ocorre quando colocamos os nossos desejos acima dos desejos revelados de Deus. Se Deus nunca tivesse expressado o seu desejo a Adão e Eva em relação a uma das árvores, então os nossos pais não seriam culpados de qualquer pecado caso comecem da dita árvore. Isto foi o que o nosso irmão Paulo nos escreveu: “eu não saberia o que é o pecado se não fosse pela lei [os mandamentos de Deus]” (Ro 7:7. Ver também Jo 9:41; Lc 12:47-48; Tg 4:7). Infelizmente, porém, este não foi o caso pois sabiam que estavam agindo contrário ao desejo de Deus. Ou seja, satisfazer ao próprio desejo de experimentar o prazer de comer da fruta da árvore da ciência do bem e do mal foi mais importante para eles do que satisfazer ao desejo do Criador que não a comessem. Leia mais »

🔊 (Parte 1) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 1: Os Prazeres do Mundo [Com Áudio]

(Parte 1) Série: O Mundo Está Passando. Estudo Nº 1: Os Prazeres do Mundo por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Os três maiores escritores do Novo Testamento: João, Pedro e Paulo, receberam a inspiração de Deus para nos alertar quanto a um dos pontos mais importantes da nossa vida atual, que é o fato de que o mundo, sim, este mundo que tanto valorizamos, está passando: “Ora, o mundo está passando, e com ele os seus desejosΩ” (1Jo 2:17. Ver também: 1Co 7:31; 1Pe 1:24; 1Pe 4:7). Este alerta é extremamente necessário simplesmente porque, apesar de ser tão óbvio, frequentemente esquecemos desta realidade e seguimos vivendo como se o mundo presente fosse fixo. Insistimos em amar a este mundo, desejando e usufruindo dos seus prazeres, como se não soubéssemos que a cada segundo estamos mais próximos de encerrarmos a nossa passagem por aqui. Isto foi o que Davi quis dizer com as palavras: “Eis que mediste os meus dias a palmos; o tempo da minha vida é como que nada diante de ti” (Sl 39:5).
————
Ω[Desejo → Grego: ἐπιθυμία (epithumia) cobiça, desejo, muita vontade, fervorosamente, impulsos, luxúria, tara]. Leia mais »

🔊 (Parte 6) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 6: O Inferno [Com Áudio]

Estudo Bíblico - (Parte 6) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 6: O Inferno

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Acreditem! Infelizmente o inferno é bem real. Embora não sabemos a sua localização geográfica, o local realmente existe e será a habitação permanente para todos os demônios e para a maior parte dos seres humanos. Quando perguntado se poucos seriam salvos para o Reino de Deus, Jesus foi categórico no sim, confirmando que de fato poucos conseguiriam se salvar: “porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz para a perdiçãoΩ, muitos são os que entram por ela” (Mt 7:13).
————
Ω [Perdição→ Grego: ἀπώλεια (apóleia) perdição, destruição, perda, ruína, morte, ruína eterna] Leia mais »

🔊 (Parte 5) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 5: A Morte Eterna [Com Áudio]

(Parte 5) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 5: A Morte Eterna por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

A morte é um processo único, universal, inevitável e que consiste de três fases: conclusão, transição e transformação. Jesus exemplificou este processo através da sua própria missão como o Messias: “Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto” (Jo 12:24). Quando morremos, concluímos a fase inicial da nossa existência, que é a nossa rápida passagem por este mundo dominado pelo pecado. Entramos então por um período de transição, saindo da fase temporária e fisicamente limitada para a fase permanente com um novo tipo de corpo e sem muitas das limitações atuais (Lc 24:39; Jo 20:19; Lc 24:30-31). Seremos transformados (1Co 15:53). Todos os seres humanos seguirão existindo após deixarem este mundo, podendo ser tanto a existência com a fonte da vida, que é Deus (vida eterna), ou a existência sem a fonte da vida (morte eterna). O nosso irmão Paulo nos escreveu sobre esse segundo grupo: “os quais sofrerão, como castigo, a morteΩ eterna, banidos da face do senhor” (2Ts 1:9). Se a vida eterna é de fato consciente e sem término, a morte eterna também o é, uma vez que Jesus nunca fez distinção quanto às suas durações, utilizando da mesma palavra para definir ambas: “E estes irão para o castigo eterno [Grego: αἰώνιος (aiónios)], mas os justos para a vida eterna [Grego: αἰώνιος (aiónios)]” (Mt 25:46). Lembrando que a palavra “castigo” no original [κόλασις (colasis)] também traz consigo a ideia de tormento ou agonia (ver uso em 1Jo 4:18).
————
Ω[Morte → Grego: ὀλέθριος (olethros) morte, ruína, perdição, destruição] Leia mais »

🔊 (Parte 4) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 4: O Céu [Com Áudio]

(Parte 4) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 4: O Céu por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

O céu é um local antigo, provavelmente tão antigo quanto o seu residente principal: Deus. Como Deus é eterno, é sensato deduzir que a sua morada também o seja. Este não é o caso do universo visível, como a terra, a lua, o sistema solar, a via láctea e demais galáxias, uma vez que tudo isso foi criado relativamente recentemente, conforme relatado no primeiro capítulo de Gênesis. Esses corpos espaciais são todos físicos assim como nós, e é por isso que, embora não podemos ir lá, podemos pelo menos vê-los; alguns a olho nu e outros com a ajuda de instrumentos, mas este não é o caso do céu que é um local espiritual, assim como os seus moradores também são, na sua maioria, seres espirituais (Sl 146:4; Ec 12:7; Jo 4:24; Heb 1:14). Leia mais »

🔊 (Parte 3) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 3: A Vida Eterna [Com Áudio]

(Parte 3) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 3: A Vida Eterna por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Troquei o amor ao mundo pelo amor a Jesus por vários motivos. Essa troca, como qualquer outra, é baseada naquilo que se perde versus aquilo que se ganha e, obviamente, só é efetuada se o ganho, atual e em potencial, for superior à perda, caso contrário a troca seria desvantajosa, não faria sentido, e não seria realizada. Ou seja, eu continuaria amando o mundo e as coisas que nele há, como a maioria o faz, fora e dentro de muitas igrejas: “Eles são do mundo, por isso falam como quem é do mundo, e o mundo os ouve” (1Jo 4:5). Leia mais »

🔊 (Parte 2) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 2: A Terra, Um Vale de Lágrimas [Com Áudio]

(Parte 2) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 2 : A Terra, Um Vale de Lágrimas [Com Áudio] por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Não sabemos ao certo a idade da terra. Tenho visto teólogos usarem números que vão de seis mil até doze mil anos. Não vejo muita importância quanto a isso, mas quando tenho que mencionar há quantos anos o pecado existe no planeta, sempre digo: “em torno de seis mil”. Estudiosos da Bíblia calculam a sua idade primariamente via genealogia, a partir de Adão e do nascimento de Sete (nome próprio), que nasceu quando Adão tinha 130 anos (Gn 5:3). Independentemente da idade da terra, sabemos que quando Deus a criou ela era perfeita, tanto em termos de ser o local ideal para o conforto do homem, como também quanto à sua beleza. Não havia nada na terra que poderia causar mal a qualquer criatura de Deus, pois, “viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom” (Gn 1:31). Adão e Eva eram verdadeiramente felizes vivendo em um lindo e perfeito planeta criado especialmente para eles e para todas as gerações que surgiriam a partir das palavras do Senhor: “Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra” (Gn 1:28). Leia mais »

🔊 (Parte 1) Série: A Terra, o Céu e o Inferno. Estudo Nº 1: O Destino do Homem [Com Áudio]

(Parte 1) Série: A Terra, o Céu e o Inferno - O Destino do Homem - por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Recentemente conversei com um membro da minha família, uma pessoa inteligente, mas que passa por um período de confusão intelectual. Essa pessoa, pelo menos por enquanto, abandonou o primeiro amor e já não sabe muito bem em que crê. Quando lhe perguntei sobre o que imagina acontecerá quando morrer, me disse que não sabia, mas que uma possibilidade é que se transformará em uma poeira cósmica. Leia mais »

🔊 (Parte 6) Série: Relacionamentos Cristãos – Casamento [Com Áudio]

Estudos Bíblicos - (Parte 6) Série: Relacionamentos Cristãos - Casamento - Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

A vida de todo o verdadeiro servo de Deus é uma vida de sacrifícios. Assim foi no começo e assim seguirá até o fim. Quando recusamos a sacrificar os nossos desejos pelos desejos de Deus estamos então recusando o próprio Senhor e como resultado recebemos as inevitáveis consequências de uma decisão contrária ao único Ser que sabe o que realmente precisamos. Quando tentada pela serpente, Eva pode perceber que a fruta era agradável aos olhos e desejável para comer, e ali então, pela primeira vez o ser humano foi exposto às duas opções que são as mesmas opções que até hoje nos confrontam no dia a dia: fazer o que eu quero ou o que Deus quer? (Gn 3:6). Fazer aquilo que mais parece beneficiar a mim mesmo é o padrão. Todas as pessoas, crentes (quem crê em Deus) e descrentes, vivem dentro do princípio de que se obtém a felicidade quando o “eu” é satisfeito. O Senhor, porém, nos diz que a felicidade é obtida quando o eu é desconsiderado e nos submetemos por completo a Ele: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz diariamente, e siga-me” (Lc 9:23). Leia mais »

🔊 (Parte 5) Série: Relacionamentos Cristãos – Namoro [Com Áudio]

Estudos Bíblicos - (Parte 5) Série: Relacionamentos Cristãos - Namoro - Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Uma colega de trabalho natural da Índia, casada e com filhos, conheceu e casou-se com o seu atual esposo através de um daqueles casamentos arranjados comum no seu país. Um dia nos encontramos no refeitório da empresa, e conversando sobre o assunto, ela me deu a impressão de que se sentia feliz no casamento. Sem adentrar nos méritos e deméritos desse tipo de casamento, deixe-me iniciar este estudo lembrando que o conceito atual de namoro é relativamente recente. Até poucos séculos atrás, uma boa parte dos casamentos em todo o mundo era pelos menos em parte arranjados entre os chefes das famílias. Também relacionado a namoro, até os anos 70 e 80 a maior parte dos namoros, principalmente no meio cristão, ocorria de uma forma transparente, na sala da casa, com poucas oportunidades para a intimidade física. A ideia por trás era que a parte física do casamento não deveria ser um fator prioritário quanto à escolha do cônjuge, mas sim coisas como compatibilidade de gênios, condições financeiras, passado problemático, e a estabilidade emocional e mental dos candidatos ao casamento. Leia mais »

E conhecereis a verdade…