🔊 (Parte 1) Preocupando Com O Amanhã. Estudo Nº 1: O Amanhã Cuidará de Si Mesmo [Com Áudio]

Homen andando na cidade a noite com texto (Parte 1) Preocupando Com O Amanhã. Estudo Nº 1: O Amanhã Cuidará de Si Mesmo [Com Áudio]

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Viver somente para hoje! Esta é a ordem de Jesus para nós: “Não vos preocupeis, pois, pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã preocupará por si mesmo. Basta a cada dia o seu mal” (Mt 6:34). Quanto mais medito neste verso mais alívio sinto. A construção desta frase de Jesus no Grego nos revela algo de extrema ajuda no nosso caminhar cristão: [Gr. αὔριον μεριμνήσει ἑαυτῆς· (aurion merimnēsei heautēs) = ficará preocupado consigo mesmo]. Vemos aqui um antropomorfismo, ou seja, o amanhã é tratado como se fosse uma pessoa que tem que enfrentar vários problemas na vida, e que nós, que vivemos apenas no presente, devemos deixar que esta outra pessoa (o amanhã) cuide de si mesma.

“Os descrentes não verão qualquer benefício em aceitar a Cristo se observarem que nos preocupamos com as mesmas coisas que eles se preocupam.”

Observemos, no entanto, que Jesus não está dizendo que devemos nos preocupar apenas com os problemas de hoje e não com os de amanhã. Não, pois ele mesmo nos ensinou na oração modelo, o Pai Nosso, que deveríamos pedir que o pão nosso de cada dia nos fosse dado pelo Pai (Mt 6:11). O que Jesus está dizendo então é que não devemos nos preocupar em nenhum dia e em nenhum momento, confiando que o nosso Pai cuidará de nós tanto hoje como em todos os dias que ainda estão por vir.

Sim, uma das grandes maravilhas de sermos filhos de Deus é que ele cuida de nós a todo instante. Quando éramos criancinhas, 2 ou 3 anos de idade, não tínhamos preocupação nenhuma porque confiávamos nos nossos pais. Naturalmente sabíamos que na hora certa, a comida, o banho, a roupa limpa, a cama e os beijinhos chegariam. Hoje, crescemos, e apesar de termos um Pai mais poderoso e muito mais amoroso do que aquele que tínhamos quando crianças, muitas vezes passamos horas sofrendo, inseguros quanto ao que nos espera amanhã. Dizemos que o Senhor é o nosso pastor e que nada nos faltará, mas sentimos e agimos como se ele não o fosse (Sl 23:1-2).

Amados, meditem sobre isto. Do que constitui a nossa fé? Qual é a vantagem de adorarmos ao Senhor, criador e mantenedor de tudo e de todos, se não confiamos que ele cuidará de nós? Neste mundo cheio de tanto sofrimento, não é exatamente isto o que nos diferencia dos demais: o fato de termos um Pai que cuida de nós enquanto os outros são órfãos? (Jo 14:18-19). Como podemos testemunhar aos descrentes sobre o amor e cuidado de Deus se nós mesmos não descansamos nos Seus braços acolhedores? Os descrentes não verão qualquer benefício em aceitar a Cristo se observarem que nos preocupamos com as mesmas coisas que eles se preocupam.

Parte do nosso problema é que esquecemos facilmente de tudo aquilo que o Senhor já fez por nós. O inferno treme quando o cristão medita nas inúmeras bênçãos recebidas no passado; nas incontáveis providências de Deus. Queridos, não sejamos como aquele povo que saiu do Egito; um povo ingrato, impaciente e murmurador (Dt 31:27). O deserto era para consistir de um período curto, mas devido a um espírito rebelde, lá mesmo o povo ficou e pereceu. Mas nós somos diferentes. Não ficaremos aqui pois estamos decididos a chegar à Canaã. Irmãos, paremos hoje mesmo de nos preocupar com o que nos sucederá amanhã e lembremos que Ebenézer, o Deus que até aqui nos ajudou (1Sm 7:12), seguirá nos levando com a sua mão poderosa até o fim: “Eu, o Senhor teu Deus, te seguro pela tua mão direita, e te digo: Não temas; eu te ajudarei” (Is 41:13). Espero te ver no céu.