A Onipotência (Série Os Atributos De Deus)

A Onipotência (Série Os Atributos De Deus) - Por Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

Dos atributos de Deus que conhecemos, a onipotência é o que mais se destaca. Devido à nossa incapacidade de fazer tantas coisas que gostaríamos de fazer, saber que não existe limite para o Criador é sem sombra de dúvidas o que mais nos atrai a Ele. Imaginamos corretamente que se tão somente tivéssemos alguém com todo esse poder do nosso lado, certamente estaríamos bem (Ef 1:19; Ro 8:31).

Como criatura finita, o homem está sempre enfrentando obstáculos na vida; barreiras externas, muito além do seu controle. Todo o homem é forçado a viver sem aquilo que gosta e forçado a conviver com aquilo que desgosta (Ec 11:8). Já que a sua satisfação não depende de si mesmo, o homem então não é autossuficiente. Se você precisa de um exemplo para essa verdade, pense em velhice ou em doenças. Por mais que queira, ninguém pode tornar-se mais jovem ou deixar de ficar enfermo. Simplesmente o querer não basta.

“Se Deus é onipotente e autossuficiente, ele então não nos criou por necessidade, mas sim por amor.”

Deus, por outro lado, é o único ser que não está sujeito a qualquer força externa. Tudo o que ele quer, ele tem. E como criador e mantenedor de tudo, nada pode afetá-lo, pois tudo o que vem de fora faz parte da sua criação; do seu propósito (Co 1:16). Consequentemente, nada pode melhorar ou piorar o que Deus já tem e já é por si mesmo. Apenas um ser onipotente pode ser verdadeiramente autossuficiente (At 17:25).

Aqui vem a maravilha de tudo isso que escrevi: se Deus é onipotente e autossuficiente, ele então não nos criou por necessidade, mas sim por amor (Jr 31:3; 1Jo 4:8). Mas para que esse amor fosse válido teríamos que ser criados à sua semelhança; teríamos que ter autonomia, assim como ele a tem; teríamos que ter a liberdade de recusar ou retribuir o seu amor (Ap 3:20; Dt 30:19; Js 24:15), pois, amor forçado não é amor genuíno.

Entender que Deus é onipotente é de suma importância para a nossa fé porque queremos depender de um ser que tudo pode (Is 41:10). Para o indivíduo que não teme a Deus, só lhe resta confiar em coisas finitas, como o dinheiro ou a sabedoria humana (1Tm 6:17; Jr 17:5). Essa confiança, porém, é bem limitada e restrita a esta vida. A dependência no Deus onipotente, no entanto, não tem limites e se estende por toda a eternidade.

Irmão, é difícil abordar um assunto tão complexo em apenas uma página, mas deixe-me anima-lo com a revelação de que Deus não apenas tudo pode, mas que ele também procura um relacionamento íntimo com a sua criatura… com você; um relacionamento voluntário, baseado no amor (Jo 14:21). Você ama a Deus? É o seu maior desejo estar com Ele na morada que lhe foi preparada? Se a resposta for sim, então você não tem nada a temer, “Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem principados, nem potestades, nem coisas presentes, nem coisas futuras, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Ro 8:38-39). Oh gloria! A maravilha de termos um Deus não só onipotente, mas que também nos ama. Espero te ver no céu.