🔊 O Cristão Fariseu (Jesus e a Hipocrisia Religiosa) [Com Áudio]

O Cristão Fariseu (Jesus e o Legalismo) por Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Como vocês já sabem, o nosso ministério tem como foco a obediência e a santidade ao Senhor. Esse foi o nosso chamado e, fortalecidos pela graça de Cristo, temos sido fiéis à mensagem que nos foi confiada. Pregamos a separação do mundo, a certeza da salvação, e a realidade do lar permanente com o nosso querido Jesus, e com o nosso maravilhoso Pai (Jo 14:2). O cristão verdadeiro, aquele que no final será salvo e terá uma linda moradia no céu, não pode ignorar as palavras de Jesus contidas nas Escrituras. Muito pelo contrário, ele deve sim prestar bastante atenção em tudo aquilo que saiu da boca do Filho de Deus e com muita alegria pôr em prática todos os seus ensinamentos. Obediência às palavras de Jesus é a única forma de agradar a Deus e garantir a nossa salvação: “Aquele que tem os meus mandamentos e os obedece, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele” (Jo 14:21).

“Deixem o inimigo e seus seguidores falarem o que quiserem. Que nos chamem de fariseus, de radicais, de bitolados, de legalistas…. Que maravilha é sofrer insultos por causa do Nome”

Recentemente recebemos um e-mail de uma irmã, muito animada com os nossos estudos, mas que se sentia muito afligida com o pensamento de que, ao procurar a obediência e a santidade poderia correr o risco de se tornar como os fariseus e que no final, pensando agradar a Deus, estivesse de fato se distanciando Dele. Ou seja, ela se lembrou de várias passagens na Bíblia em que estes religiosos demonstravam um aparente zelo pela lei de Deus, procurando obedecer aos mandamentos nos menores detalhes, mas ao invés de receber elogios de Jesus, o Senhor os repreendia continuamente: “Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque fechais aos homens o reino dos céus; pois nem vós entrais, nem aos que entrariam permitis entrar” (Mt 23:13). Ver também: Mt 23:23; Lc 11:39-40; Mc 7:4.

Amados, o inimigo é astuto. Ele é um especialista em apresentar argumentos aparentemente corretos, utilizando uma mistura de verdades e mentiras, de tal forma que até os escolhidos, se não fosse o Espírito Santo, poderiam ser enganados (2Co 11:14). Lembremos que desobedecer a Deus, satisfazer a carne, é exatamente o que Satanás quer que façamos. Animado com o sucesso obtido no Éden, ele nunca se cansa de pregar a mesma mensagem da desobediência, dia e noite, àqueles chamados à semelhança de Cristo. Já no deserto, ele não conseguiu convencer a Jesus, mas certamente fará de tudo para convencer a mim e a vocês a unirmos a ele.

Pensem bem. O que temos nós, que somos imitadores de Cristo, em comum com os fariseus? Nada. Lembrem-se que a grande característica do farisaísmo é a hipocrisia (Mt 23:13-27). Jesus não condenava os fariseus e os doutores da lei porque eles tinham um zelo exagerado pelos mandamentos de Deus, conforme alguns ensinam. O nosso Mestre os repreendia porque eles pregavam uma religiosidade de criação própria, mas que eles mesmos não seguiam. Misturavam os verdadeiros ensinos das Escrituras com as suas próprias tradições: “Vós deixais o mandamento de Deus, e vos apegais à tradição dos homens” (Mc 7:8). O amor que demonstravam a Deus era apenas uma fachada para ganhar prestígio e admiração dos outros. O que define os fariseus, assim como Satanás, o pai deles, é a falsidade, é a mentira (Jo 8:44). Os Judeus que verdadeiramente amavam a Deus foram protegidos por Jesus desse engano: Pedro, João, Nicodemos, Paulo… e muitos outros. Da mesma forma hoje, o Espírito Santo jamais permitirá alguém que genuinamente ama a Jesus cair no erro da hipocrisia. Seremos alertados e corrigidos, se for necessário (Heb 12:6).

Irmãos, já estamos praticamente ouvindo os primeiros sons das trombetas. Não hesitem, não regressem, não desanimem. Em toda a Palavra de Deus, somos exortados a sermos um povo santo, separados do mundo, vivendo em obediência (Lv 20:26, 1Pe 1:16). Nosso grande exemplo, Jesus (1Pe 2:21), assim vivia quando esteve conosco, e assim também viveremos até o fim: “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor” (Jo 15:10). Ver também: 1Jo 5:3; Ro 7:12; Ap 14:12). Deixe o Diabo, e aqueles que são influenciados por ele, falar o que quiserem. Que nos chamem de fariseus, de radicais, de bitolados, de legalistas…. Que maravilha é sofrer insultos por causa do Nome (1Pe 4:14). Mas ai daqueles que procuram nos desviar da obediência e da santidade, “melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de moinho, e se submergisse na profundeza do mar” (Mt 18:6). Espero te ver no céu.