🔊 Recusando A Salvação (O Evangelho de Jesus) [Com Áudio]

Recusando A Salvação (O Evangelho de Jesus)

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Quem conhece o nosso ministério sabe que o Senhor nos chamou para pregar o evangelho da obediência e da santificação entre o seu povo. Lembrando-me continuamente das minhas fraquezas, procuro imitar a Cristo na sua compaixão e amor por aqueles que correm o risco de perder a batalha contra a carne. Correm este risco porque foram levados a crer por anticristos, que ocupam cargos de lideranças em muitas das nossa igrejas, que obedecer às palavras de Jesus já não é mais necessário para a salvação, um ensino contrário a tudo aquilo que lemos nas Sagradas Escrituras: “…e, tendo sido aperfeiçoado, veio a ser autor de eterna salvação para todos os que lhe obedecem” (Heb 5:9). Salvação não para quem respeita a Jesus, não para quem é agradecido a Jesus, não para quem canta louvores a Jesus e nem mesmo para quem adora a Jesus, mas sim “para todos os que lhe obedecem”.

“Jesus não lhe ofereceu alternativas, não propôs um meio-termo, não o chamou de volta para terem mais diálogos.”

O evangelho da obediência e da santificação é a mensagem que nos é ensinada em toda a Bíblia. Esta mensagem continua válida e seguirá sendo válida por toda a eternidade. Qualquer tentativa do homem de cancelar esta mensagem que nos foi transmitida pelo Senhor se trata do espírito do anticristo. De fato, este espírito do mal sempre existiu e continua existindo, argumentando de todas as formas possíveis e imagináveis que é possível ao pecador ser salvo sem que ele se arrependa dos seus pecados e sem que ele recuse a satisfazer aos desejos da carne e viva somente para Deus, recusando assim a obedecer a um dos maiores mandamentos de Jesus: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me; pois, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á” (Mt 16:24-25).

O evangelho da obediência e da santificação é o evangelho de Jesus. Este é o único evangelho a ser obedecido e pregado por todos aqueles que verdadeiramente o amam: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele” (Jo 14:21). O verbo guardar no grego [Gr. τηρέω (tēreō)] possui a ideia de vigiar, reter e preservar e é usado em vários lugares com o sentido de policiar ou manter sob guarda (Mt 27:36; Mt 27:54; At 12:5; At 16:23; At 24:23; At 25:4 ). Ou seja, aquele que de fato ama a Jesus manterá constante guarda (tēreō) nas palavras que saíram da sua boca e as protegerá assim como um policial guarda alguém para que jamais escape. Se alguém apresentar um evangelho em que os mandamentos de Jesus são ignorados, este alguém então não o ama, não é amado do Pai e não possui a manifestação de Jesus na sua vida.

A pessoa que ignora o caminho da obediência nos ensinado por Jesus não deve de forma alguma esperar que no final, de alguma forma, será salvo, simplesmente porque não existe um outro caminho. Dizer que ama a Jesus e até mesmo expressar este amor nas orações e louvores sem obedecê-lo lhe é uma afronta: “E por que me chamais: Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu vos digo?” (Lc 6:46).

Sendo Jesus Deus perfeito, ele sabia como atingir o equilíbrio ideal entre o amor e a justiça. Como amor personificado (1Jo 4:8), tudo nele exalava compaixão, carinho e ternura. Mesmo quando não era a sua intenção imediata, o amor naturalmente fluía do nosso amado Jesus: “Quem tocou em mim?” Perguntou Ele ao ser tocado pela mulher que sofria de hemorragia (Lc 8:45). Sem pedir permissão, a mulher que lutava por 12 anos tocou nas suas vestes, o amor se manifestou, e sua enfermidade se foi.

Mas Jesus também era justiça perfeita, e como tal não negociava com a carne. Após prover libertações físicas e espirituais, sua frequente admoestação era: “Vá e não peque mais!” (Jo 5:14; Jo 8:11). Quando o jovem rico recusou a instrução para ter a vida eterna, quando obedecer às palavras de Jesus lhe soou como algo difícil demais, Jesus não lhe ofereceu alternativas, não propôs um meio-termo, não o chamou de volta para terem mais diálogos. Embora o tenha amado, Jesus permitiu que o jovem se retirasse sem obter a salvação desejada (Mc 10:21).

Queridos, entendam isto, assim como eu e vocês esse rapaz procurou o céu na fonte certa; na realidade a única pessoa no universo que poderia lhe dar o que queria, mas mesmo assim não recebeu o que procurava. Por que não? Porque recusou a obedecer, considerando demasiado alto o preço requerido. Ele quis a salvação, ele encontrou o caminho, mas lhe faltou a obediência (Jo 3:36). Não pensem que conosco é diferente.

Amados, se estão lendo este texto, é possível que o Espírito ainda lhes chama à santidade, a uma vida de completa obediência e submissão ao Senhor; de completo desapego àquilo que lhes prendem a esta vida presente. A qualquer momento, assim como foi com o jovem, o Senhor poderá permitir que vocês se retirem sem obter o maior dos seus desejos. Antes que isto ocorra, imploro que abandonem todos os obstáculos entre vocês e Cristo. Nada, absolutamente nada neste mundo passageiro justifica perder “o que Deus preparou para aqueles que o amam” (1Co 2:9). Não se deixem levar pelo evangelho da desobediência tão popular nestes últimos dias. Espero te ver no céu.