🔊 (Parte 20) Serie: O Sermão da Montanha. Estudo Nº 20: Os Mandamentos de Deus: O Ensino da Lei. [Com Áudio]

Cadeia de montanhas com pequena vila e topo de neve ao fundo, com texto sobre o estudo: Serie: O Sermão da Montanha. Estudo Nº 20: Os Mandamentos de Deus: O Ensino da Lei.

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Quando lemos os ensinos no Sermão da Montanha contidos nos capítulos cinco a sete de Mateus, podemos notar que Cristo usa a maior parte do seu tempo nos alertando quanto às nossas inúmeras fraquezas e às sérias consequências que sofreremos caso ignoremos os seus avisos e sigamos no caminho do erro. Neste estudo, porém, cobriremos não um alerta, mas sim uma instrução nos passada por Cristo para recebermos a aprovação de Deus e as bênçãos que sempre seguem as pessoas que agradam ao seu Pai. Em Mateus 5:19, Jesus inicia o verso em um tom negativo, nos dizendo o que ocorrerá com o líder que desobedece, ou enfraquece, ele mesmo aos mandamentos de Deus, e ensina aos seus ouvintes a seguir o seu exemplo de rebeldia para com o Pai: “Qualquer, pois, que relaxar em um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus” (Mat 5:19a). [Gr. λύω (lúo) relaxar, enfraquecer, pegar leve, desconsiderar, afrouxar]. Comparar com o termo mais forte: [Gr. καταλυω (kataluo) abolir, destruir, demolir, cancelar, derrubar] de Mateus 5:17.

“O líder que obedece e enaltece os mandamentos de Deus, ensinando aos outros o seu cumprimento, já é imediatamente abençoado e aceito como verdadeiro cidadão do Reino.”

Logo a seguir, no entanto, Jesus muda completamente o tom da sua mensagem e nos diz como Deus considera o líder que valoriza, obedece, e ensina aos outros que, assim como ele, também obedeçam à lei do Senhor: “Aquele, porém, que os cumprir e ensinar [Gr. διδασκω (didasko)] será chamado grande no reino dos céus” (Mat 5:19). Ou seja, a primeira parte desse versículo lida com uma maldição e a segunda parte lida com uma benção. Ambas partes ligadas à obediência, ou não, aos mandamentos do seu Pai.

Quando lemos estas incríveis palavras de maldição e bênção que saíram dos lábios de Jesus, o único porta-voz autorizado pelo Pai (Mat 17:5), somos lembrados das inúmeras vezes que Deus, através dos seus profetas, nos alertou sobre o mesmo assunto e com palavras tão sérias como as de Cristo: “Vede que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição: A bênção, se obedecerdes aos mandamentos do Senhor vosso Deus, que eu hoje vos ordeno; porém a maldição, se não obedecerdes aos mandamentos do Senhor vosso Deus” (Deut 11:26-28). Ou seja, a rebeldia existente no meio do povo de Deus em relação aos mandamentos do Senhor é uma rebeldia antiga, iniciada no Éden, continuando entre os patriarcas, juízes, reis e exilados, seguindo no período da igreja primitiva e infelizmente presente até os dias atuais. A triste realidade é que dentre aqueles que se identificam como fazendo parte do povo de Deus, sempre existiu e sempre existirá um grande grupo que recusa veementemente a obedecer à santa lei de Deus, mas que mesmo assim afirma que ama ao Senhor. Foi isso o que Jesus quis dizer com as palavras: “Hipócritas! Bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo me honra com os lábios; o seu coração, porém, está longe de mim” (Mat 15:7-9. Ver também Isa 29:13. Comparar com Eze 33:31).

Quando se trata de expressões externas, a liderança carnal, acompanhada dos seus milhões de seguidores, nunca teve nenhum problema em demonstrar que honram a Deus. Eles honram a Deus com as suas músicas, instrumentos, orações, danças, teatros, efeitos especiais e muitas outras coisas semelhantes. Não poupam esforços ou gastos para que os seus cultos e eventos sejam os mais agradáveis, cativantes e atrativos possíveis para a sua plateia. Eles não têm nenhum problema em investirem fortemente nestas demonstrações externas, pois o retorno é sempre garantido. É quando se trata de entregar o seu coração ao Senhor, morrer para o eu, obedecer aos seus mandamentos, e ensinar o mesmo aos seus ouvintes que se retraem e inventam todos os tipos de argumentos de homem para continuarem na sua rebeldia: “E por que me chamam de Senhor, Senhor, e não fazem [Gr. ποιεω (poieo)] o que lhes digo?” (Luc 6:46).

Irmãos, as palavras de Deus são fiéis (2Co 1:20) e jamais podemos perder as oportunidades de nos beneficiarmos das suas promessas. Quando o Senhor nos passa uma instrução e nos promete bênçãos associadas à obediência, só um verdadeiro tolo não se apodera imediatamente de tudo o de bom que certamente virá para aqueles que lhe dá ouvidos. Se queremos ser abençoados a todo o tempo e em todas as áreas da nossa vida, devemos prestar muita atenção a tudo aquilo que o Pai e o Filho nos instrui e imediatamente obedecer ao pé da letra, para que assim sejamos plenamente abençoados: “Saberás, pois, que o Senhor teu Deus é que é Deus, o Deus fiel, que guarda o pacto e a misericórdia, até mil gerações, aos que o amam e guardam os seus mandamentos… Guardarás, pois, os mandamentos, os estatutos e os preceitos que eu hoje te ordeno, para os cumprires” (Deut 7:9,11). Estas palavras de bênçãos e proteção foram dadas para todos os fiéis servos de Deus, para todos os tempos, que honram os seus santos mandamentos. Para nós, que temporariamente peregrinamos nesta terra e esperamos com alegria o dia em que o nosso Redentor, Jesus Cristo, vier para pôr um fim permanente no reinado do Maligno (Apo 1:7; 12:9).

É muito importante que observemos, todavia, que as promessas de Deus — Pai e Filho — estão sempre condicionadas à obediência aos seus mandamentos. Sabemos muito bem que nestes últimos dias, grande quantidade de comerciantes de bênçãos, verdadeiros mercadores de Satanás, têm aproveitado da ignorância do povo para se enriquecerem com os seus falsos evangelhos. Podemos reconhecê-los facilmente porque eles sempre falam de bênçãos, mas nunca mencionam a obediência aos mandamentos de Deus sem a qual nenhuma bênção será dada: “Vede que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição: A bênção, se obedecerdes aos mandamentos do Senhor vosso Deus, que eu hoje vos ordeno; porém a maldição, se não obedecerdes aos mandamentos do Senhor vosso Deus” (Deut 11:26-28). Observemos neste importante verso e em todos os versos semelhantes, que a condição para as bênçãos de Deus é bem específica. Não existe nada misterioso, ou místico, ou confuso, ou difícil sobre o que temos que fazer para recebermos as bênçãos que tanto precisamos, sejam elas bênçãos temporárias aqui na terra, ou a maior de todas as bênçãos que é herdarmos o Reino de Deus: devemos obedecer aos mandamentos de Deus. Deus não nos disse que temos que mandar dinheiro para nenhum ministério, nem que temos que comprar nada de ninguém, nem que temos que participar de algum evento especial, ou beber da água de um certo lugar, nada disso, mas tão somente que obedeçamos aos seus mandamentos: “Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em ofertas queimadas e sacrifícios, como em que se obedeça à voz do Senhor?” (1Sm 15:22). Em vários lugares Jesus deixa bem claro que ele mesmo sempre obedeceu aos mandamentos do Pai: “Se obedecerdes aos meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho obedecido aos mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor” (João 15:10).

Apesar de todos nós gostarmos bastante de ouvir sobre as bênçãos de Deus, devemos manter em mente, porém, que neste verso em particular a bênção prometida por Jesus é especificamente para um grupo seleto, que são aqueles em posição de ensinar, ou influenciar, nas nossas igrejas. Muitos não se compenetram da seriedade que é esta posição e sem pensar muito, aceitam os cargos que lhes são oferecidos pela liderança. Este não deveria ser o caso, pois, como o nosso irmão Tiago nos disse, o Senhor possui uma regra diferente para julgar aqueles que ensinam: “Meus irmãos, não sejais muitos de vós mestres, sabendo que seremos julgados com mais rigor” (Tiago 3:1). Este julgamento de Deus, no entanto, não deve ser visto apenas no negativo, mas também no positivo: “Quão formosos são os pés dos que anunciam o evangelho de paz, dos que anunciam o evangelho de coisas boas!” (Rom 10:15; Isa 52:7).

Queridos, concluindo este animador estudo, quando Jesus nos diz que os líderes que obedecem e ensinam a guarda dos mandamentos do Pai serão chamados os maiores no Reino de Deus, devemos entender que agora mesmo já estamos recebendo os benefícios da promessa: “é chegado o Reino dos céus” (Mat 3:2); “pois o reino de Deus está dentro de vós” (Luc 17:21). Da mesma forma que o líder que enfraquece a lei de Deus [Gr. λύω (lúo)] já recebe de imediato a maldição da promessa e será considerado o menor quando Jesus vier com o seu Reino, assim também o líder que pratica e enaltece [Gr. ποιεω (poieo)] os mandamentos de Deus, ensinando aos outros o seu cumprimento, já é imediatamente abençoado e aceito como verdadeiro cidadão do Reino. Esta verdade, irmãos, eu e a minha amada esposa podermos confirmar na nossa própria vida. Porque cumprimos e ensinamos continuamente os mandamentos do Pai e do Filho, tanto na nossa vida pessoal como no nosso ministério, as bênçãos de Deus nunca param de fluir na nossa vida. “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores; antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite. Pois será como a árvore plantada junto às correntes de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cuja folha não cai; e tudo quanto fizer prosperará” (Sal 1:2-3). “Bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a obedecem” (Luc 11:28). Espero te ver no céu.

Nesta Série de Estudos Bíblicos:
(Acesse o esboço completo)

(Os estudos sem links ainda estão sendo preparados)

(Acesse o esboço completo)