🔊 (Parte 3) Série Especial: O Esconderijo do Altíssimo: O Cristão e a Crise de 2020 (Salmos 3) [Com Áudio e PDF]

Imagem de um rapaz olhando altas montanhas no horizonte. Texto sobre a crise do COVID-19.

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Na sequência da série especial da crise de 2020, cobriremos mais um dos maravilhosos salmos do rei Davi. No Salmos 3, o rei abre o coração e descreve um dos períodos mais difíceis da sua complicada vida. O contexto do salmo foi a sua fuga urgente de Jerusalém devido a um “golpe de estado” perpetrado pelo seu próprio filho, Absalão, filho da gentia Maaca, uma das suas muitas mulheres (1Cr 3:1-3). Absalão, obviamente, não estava a sós no complô para depor e matar a seu pai, mas contava com o apoio necessário de uma boa parte das tropas de Israel que simplesmente se rebelaram contra o rei e apoiaram o príncipe. Foram nesses dolorosos dias, fugindo para o deserto na direção do Jordão e deixando para trás parte da sua família (2Sam 15:16-17) e a Arca da Aliança (2Sam 15:25-26), que Davi escreveu as palavras de lamento: “Senhor, como se têm multiplicado os meus adversários! Muitos se levantam contra mim. Muitos são os que dizem de mim: Não há socorro para ele em Deus” (Sal 3:1-3).

“Lembremos que o Senhor sempre será um escudo protetor para aqueles que o temem e que vivem para agradar ao seu Deus.”

As Sugestões Negativas de Satanás

Muitas vezes o cristão, assim como o rei Davi, enfrenta situações onde as sugestões que chegam até a sua mente é a de que “não há socorro para ele em Deus.” Sugestões que chegam de todos os lados, mas muito em especial de Satanás cujo um dos seus vários títulos é: o acusador dos irmãos: “porque já foi lançado fora o acusador de nossos irmãos, o qual diante do nosso Deus os acusava dia e noite” (Apo. 12:10. Ver também: Zac 3:1; Jó 1:9-11; Luc 22:31). Sem a menor dúvida, nesses últimos dias, devido à pandemia do coronavírus e da crise financeira mundial, milhões dos nossos irmãos se veem inesperadamente em uma situação semelhante à do rei. Muitos se encontram sem emprego, sem economias e sem a perspectiva de uma solução a curto prazo. Assim como o salmista, certamente ninguém esperava que a sua vida fosse se transformar de uma forma tão drástica e rápida como tem ocorrido nas últimas duas ou três semanas. 2020 começou como qualquer outro ano, sem dar qualquer pista de que dentro de poucas semanas milhares morreriam por causa de um pequeno vírus; praticamente toda a população mundial seria forçada a se trancar em casa, e grande parte dos chefes de família se tornariam desempregados. Frente à situação desesperadora em que o mundo se encontra, as sugestões que chegam até a mente do cristão não são de forma alguma de otimismo e esperança, mas sim de pessimismo e desespero. Estas vozes negativas eram as mesmas que chegavam até os ouvidos de Davi, quando todo o mundo parecia ter se voltado contra ele.

Milhões de estudos teológicos enviados totalmente sem custo. Se inscreva neste link: Página de Inscrição.

Quando Parece Que Deus Nos Abandonou

Um evento que ilustra a situação desesperadora de Davi ocorreu na sua fuga, quando ao passar pela cidade de Baurim, Simei, um descendente de Saul, audaciosamente enfrentou o rei e sua corte com pedras e gritos, demonstrando como de fato Davi havia perdido tudo, até mesmo o respeito que possuía poucos dias antes: “E, xingando-o Simei, assim dizia: Foge, homem assassino, bandido! O Senhor está te retribuindo todo o sangue derramado da família de Saul, cujo trono tu tomastes. O Senhor tirou o reino da tua mão e o deu a Absalão, teu filho; e tu agora estás pagando, pois és um assassino” (2Sam 16:7-8). Note nas palavras de Simei que a ideia que se tinha e que chegava até os ouvidos do rei era a de que o próprio Deus estava contra ele, o que explica a frase já mencionada do versículo 3 do Salmos 3: “Muitos são os que dizem de mim: Não há socorro para ele em Deus” (Sal 3:3).

Deus Sempre é Fiel e Amoroso Com os Seus Filhos Obedientes

O rei, no entanto, era um homem segundo o coração de Deus (1Sam 13:14; Atos 13:22). Desde muitos anos, quando ainda era um desconhecido rapazinho pastoreando as ovelhas do seu pai, ele pode experimentar em primeira mão os cuidados do Senhor pelos seus escolhidos (1Sam 17:34-36). Ele sabia que mesmo que tudo nos pareça perdido, podemos ter certeza de que o socorro de Deus, na hora certa, chegará para os seus filhos obedientes: “Mas tu, Senhor, és um escudo ao redor de mim, a minha glória, e aquele que levanta a minha cabeça. Com a minha voz clamo ao Senhor, e ele do seu santo monte me responde” (Sal 3:3-4). Quando tudo ao nosso redor nos parece perdido; quando todas as soluções que surgem na mente nos parecem inúteis; devemos lembrar quem somos aos olhos de Deus. Lembremos que o Senhor sempre será um escudo protetor para aqueles que o temem e que vivem para agradar ao seu Deus, conforme o testemunho de Davi mais adiante em um outro salmo: “O Senhor livrou-me, porque tinha prazer em mim. Recompensou-me o Senhor conforme a minha retidão, retribuiu-me conforme a pureza das minhas mãos. Pois segui nos caminhos do Senhor, e não me afastei do meu Deus para seguir os ímpios. Porque todas as suas ordenanças estão diante de mim, e nunca afastei de mim os seus estatutos” (Sal 18:19-22). Estas palavras de Davi refletem a grande verdade na vida dos filhos de Deus de que se queremos o seu livramento de tudo aquilo que nos atormenta teremos que ser fiéis aos seus ensinos, pois eles nos foram dados exatamente para que, ao obedecermos às suas palavras sem desviar para a esquerda ou direita, demonstremos o quanto amamos a Deus: Pai e o Filho, conforme ouvimos dos próprios lábios de Jesus: “Se alguém me ama, obedecerá à minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos a ele, e faremos nele morada. Quem não me ama, não obedece às minhas palavras; ora, a palavra que estais ouvindo não é minha, mas do Pai que me enviou” (João 14:23-24). [Acesse série de estudos sobre a obediência a Jesus]

Quer que oremos por você? Visite a Página de Oração.

A Importância da Obediência Durante Esta Crise

Irmãos, nesses dias de adversidades e incertezas é de suma importância que tenhamos um relacionamento com Deus livre de todo o apego a este mundo e de todo o pecado acariciado. Se queremos que Deus venha ao nosso auxílio durante essa terrível e longa crise, esse é o momento de abandonarmos de uma vez por todas tudo aquilo que sabemos já de muito tempo que tem servido de obstáculo entre nós e o Senhor: “Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para que não possa ouvir; mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados esconderam de vós o rosto dele, de modo que ele não vos ouça” (Isa 59:1-2. Ver também: Jer 5:25; Eze 39:24; Miq 3:4). O Apóstolo Paulo reflete essa mesma verdade ao nos escrever: “Amados, visto que temos essas promessas, purifiquemo-nos de tudo o que contamina o corpo e o espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus” (2Cor 7:1).

Não Precisamos Temer Nenhum Tipo de Inimigo

Davi clamou ao seu Deus e sentiu no seu coração que não precisava temer qualquer inimigo que se levantasse contra ele. O Espírito Santo lhe trouxe à mente a verdade de que ainda que todas as nações do mundo avançassem contra o rei, ele poderia continuar confiando no seu Deus que nunca deixa de ser fiel aos seu filhos obedientes: “Com a minha voz clamei ao Senhor, e ele do seu santo monte me respondeu. Eu me deitei e dormi; acordei, porque o Senhor me sustentou. Não tenho medo dos dez milhares de pessoas que se puseram contra mim ao meu redor” (Sal 3:4-6. Ver também: Sal 27:3; Rom 8:31; Fil 1:28; Apo 2:10).

Gostaria de jejuar conosco?
Visite a Página de Jejum.
Próximo jejum: sexta, 7 de agosto de 2020

O Nosso Deus é o Nosso Escudo Protetor e Não Temeremos a Nada e a Ninguém

Queridos, notemos a mudança que ocorreu com Davi do começo ao fim deste maravilhoso salmo de libertação. O rei a princípio se preocupava com o grande número de pessoas que se levantaram contra ele, insinuando que Deus o havia abandonado e que não o ajudaria na sua angústia (Sal 3:1-2; 2Sam 16:7-8); mas logo a seguir ele se lembrou de que no passado, Deus foi o seu escudo, a sua glória e aquele que manteve a sua cabeça erguida durante os dias de sofrimentos (Sal 3:3. Ver também: Sal 28:7; Sal 84:9; Luc 2:32).  Davi se lembrou que ele tinha a Deus como luz e salvação (Sal 27:1). Nesses dias de incertezas, onde literalmente bilhões de seres humanos não conseguem passar uma noite em paz, preocupados com as más notícias que chegam aos seus ouvidos; preocupados consigo mesmos e com os seus queridos; preocupados com este perigosíssimo COVID-19 e sobre como sobreviverão durante a crise financeira que está afetando todos os setores da indústria e comércio. Nesses dias, devemos lembrar que o mesmo Deus que nos sustentou no passado nos sustentará no presente e no futuro. Lembremos que Deus está acima de todas as doenças e crises monetárias e que sempre cuidará dos seus filhos fiéis: “E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo. Não se vendem dois passarinhos por um centavo? E nenhum deles morrerá sem a vontade de vosso Pai. E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais, pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos” (Mat 10:28-31). “A salvação vem do Senhor; sobre o teu povo seja a tua bênção” (Sal 3: 8). Espero te ver no céu.