🔊 (Parte 12) As 12 Táticas de Satanás Contra o Cristão – Satanás e a Segurança em Grupo [Com Áudio]

Estudo Bíblico - (Parte 12) As 12 Táticas de Satanás Contra o Cristão - Satanás e a Segurança em Grupo - Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Estamos encerrando mais uma longa série. Nunca escrevi tanto em tão pouco tempo. Durante todos esses dias senti uma urgência enquanto escrevia e por isso chegamos a publicar três estudos bíblicos em uma só semana. Por algum motivo o Senhor queria que esta série estivesse disponível ao público o mais rápido possível. Deixei este estudo por último porque no meu entendimento ele é o mais importante de todos os 12 textos sobre as estratégias de Satanás contra o cristão, pois é este o engano do inimigo que levará o maior número de pessoas à perdição. Creio que no juízo final milhões e milhões de homens e mulheres serão condenados porque desobedeceram ao Senhor continuamente, embora hoje insistem que o amam. Hoje, ignoram as palavras de Jesus, mas esperam que tudo terminará bem porque vivem como a maioria dos seus amigos e líderes cristãos vivem. Se sentem seguros por fazerem parte de um grande grupo. São esses os indivíduos que ouvirão com pavor e incredulidade a temível frase: “Afastem-se de mim, nãos os conheço!”  (Mt 7:23).

Estudo Nº 12 – Satanás e a Segurança em Grupo.

O instinto gregário sempre fez parte da humanidade. Foi algo que o nosso Criador incorporou no nosso DNA: “Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só” (Gn 2:18a). Somos seres sociais e não gostamos de viver isoladamente. O comportamento coletivo é uma das características inerentes do convívio em grupo e faz parte do desenvolvimento normal de todo o ser humano. Desde criança, uma boa parte da nossa conduta é o resultado do ambiente que frequentamos. Inconscientemente, imitamos as pessoas que nos rodeiam partindo do pressuposto que se muitos se comportam de uma determinada forma deve ser porque tal comportamento nos é vantajoso. Nos sentimos mais seguros adotando o mesmo comportamento da maioria do que aventurarmos em algo diferente. É em parte aplicando este princípio, por exemplo, que muitos pais se sacrificam e matriculam os seus filhos em escolas particulares; na esperança que ali a influência será melhor do que em escolas públicas.

“O inimigo está sempre nos encorajando a seguir as multidões, que quase sempre seguem em um caminho contrário à Palavra de Deus.”

Devo mencionar que o comportamento grupal não é uma exclusividade do ser humano, mas também de muitos animais irracionais. Todos nós sabemos de grandes grupos de animais que morrem por causa deste tipo de comportamento durante os conhecidos estouros; seja caindo de precipícios, cruzando rios perigosos, ou coisas semelhantes. Este é um instinto muito forte em todas as criaturas.

Satanás sabe muito bem que compartilhamos deste comportamento com os animais irracionais e explora esta falha com maestria. O inimigo está sempre nos encorajando a seguir as multidões, que quase sempre seguem em um caminho contrário à Palavra de Deus (Êx 23:2). A maioria das pessoas, fora ou dentro das igrejas, absolutamente não quer renunciar a amizade que tem com o mundo, tornando-se assim inimigo de Deus (Tg 4:4). Os de fora simplesmente não veem nenhum motivo para uma mudança de vida, já que não temem a Deus. Os de dentro, confessam com os seus lábios que temem a Deus, mas ignoram ou racionalizam as Suas instruções para que assim possam continuar nos prazeres do mundo que tanto amam, conforme nos foi dito através do profeta: “Pois este povo se aproxima de mim, e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas longe de mim está o seu coração” (Is 29:13).

Queridos, que a maioria das pessoas não quer um relacionamento sério com Deus, sabemos que foi assim desde o começo. Durante toda a história do povo de Israel, sempre foi um grupo pequeno que verdadeiramente amava ao Senhor ao ponto de obedecê-lo. Praticamente todos declaravam que serviam ao único Deus, mas isso não passava de palavras ocas, só da boca para fora. Mesmo quando o profeta do Senhor falava, eles ouviam, mas não obedeciam, conforme o próprio Senhor alertou a Ezequiel: “E eles vêm a ti, como o povo costuma vir, e se assentam diante de ti como meu povo, e ouvem as tuas palavras, mas não as põem em prática; pois com a sua boca professam muito amor, mas o seu coração vai atrás dos seus interesses” (Ez 33:31). Quando Jesus esteve aqui conosco, ele nos falou a mesma coisa: “E por que me chamam de Senhor, Senhor, e não fazem o que lhes digo?” (Lc 6:46).

Irmãos, não caiam nesta armadilha de Satanás, se deixando levar pelas multidões. A única forma de não termos o mesmo fim que a maioria terá é resistindo a este instinto e basear o nosso viver somente nas Palavras de Jesus. Não creiam que desobedecer ao Senhor será aceitável no juízo final tão somente porque a maioria dos chamados cristãos acha que sim. Deus não adapta a sua justiça por causa de nenhum grupo, pequeno ou grande, e tampouco por causa dos seus mestres. Em outras palavras, ninguém será considerado inocente porque seguia os exemplos dos amigos ou dos líderes. Tanto o povo como a liderança responderá por todo o ato de desobediência às palavras do Senhor; sendo que este segundo receberá um tratamento especial: “Mas qualquer que fizer tropeçar um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de moinho, e fosse afogado na profundeza do mar” (Mt 18:6).

Termino esta série com as palavras certas, fiéis, e confiáveis do nosso amado Jesus. Aqui está o alerta do Senhor quanto à quantidade de pessoas que irão se salvar, os que não se salvarão, assim como o porquê. Ouçam: “Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz para a perdição, e muitos são os que entram por ela. E como é estreita a porta, e apertado o caminho que conduz à vida, poucos são os que a encontram” (Mt 7:13-14). Mais claro que isso impossível. Todas as táticas de Satanás mencionadas nesta série têm como objetivo fazer com que vocês deixem os “poucos” e se unam aos “muitos”. Não deem ouvidos ao inimigo como a maioria o faz. A vida dos salvos do Senhor é uma vida de sacrifícios, concordo, mas vai valer a pena. Acredite, quando estivermos lá, olharemos para este insignificante planeta e não saberemos se devemos rir ou chorar das vezes que cogitamos trocar a eternidade com o Pai por estes míseros momentos de prazeres que o inimigo nos oferece. Estamos quase lá. Vai valer a pena. Vai valer a pena. Espero te ver no céu.

Nesta Série de Estudos Bíblicos: