🔊 (Parte 9) As 12 Táticas de Satanás Contra o Cristão – Satanás e o Medo e Preocupações Infundadas [Com Áudio]

Estudo Bíblico - (Parte 9) As 12 Táticas de Satanás Contra o Cristão - Satanás e o Medo e Preocupações Infundadas - Markus DaSilva

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

Uma das maravilhosas promessas de Jesus é a que todo aquele que fielmente o seguir recebe uma vida superior à vida que o mundo oferece: “eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10:10b). Esta palavra: abundância, no seu original grego (περισσὸν – perisson), tem o significado de algo além do necessário, ou algo muito melhor do que aquilo que se espera. Uma boa analogia da abundância da vida que Jesus nos dá está na parábola do filho pródigo. Ao voltar para casa, o filho estaria satisfeito se fosse tratado como um dos empregados do seu pai, mas o que lhe esperava era algo muito superior: “o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, e o vistam e põe um anel no dedo dele e sandálias nos pés… façamos uma festa” (Lc 15:22-23). Mas quando Jesus nos falou sobre a vida em abundância que recebemos dele, ele também nos alertou sobre aqueles que procuram fazer exatamente o oposto, que é roubar de nós o descanso, a paz, que recebemos do nosso Pai: “O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir” (Jo 10:10b). São muitas as formas que o inimigo e seus comparsas (mercenários, enganadores, lobos) utilizam para nos tirar a paz do Senhor, mas neste estudo bíblico focaremos em um ataque que vem direto do pai da mentira.

Estudo Nº 9 – Satanás e o Medo e Preocupações Infundadas.

O grande problema das mentiras de Satanás é que a maioria delas chegam até nós não audivelmente, mas sim em forma de sugestões mentais. O fato de surgirem de dentro, as tornam difíceis de identificar a sua fonte. Frequentemente caímos na armadilha e deduzimos que o pensamento é nosso e que, portanto, se baseia em coisas reais; nas nossas observações; em dados confiáveis. Este pacote de mentiras é tão bem elaborado que quando ele é finalmente aberto, e a verdade é exposta, ficamos pasmados com nós mesmos, sobre como podemos ter chegado à conclusão que chegamos.

“O inimigo utiliza desta estratégia em todas as áreas da nossa vida, como nos relacionamentos, nas finanças, mas de uma forma muito especial em relação à nossa saúde. “

Recordo-me de uma reunião anual de avaliação com a minha supervisora em que o inimigo já estava trabalhando na minha mente por vários dias antes da data marcada. A reunião, detalhe por detalhe, era encenada continuamente na minha cabeça, e em cada uma destas exibições teatrais o final só piorava. Na minha fraqueza, eu procurava argumentos que pudessem amenizar o horrível desfecho que já era praticamente garantido: seria despedido em completa vergonha e humilhação. Quando finalmente entrei naquele escritório, o nervo estava à flor da pele. Sentei-me e ela me deu um papel para assinar. Eu nem conseguia ler direito, tamanho o temor que me assolava. Estava para assinar quando ela insistiu que eu lesse, foi quando vi que o documento consistia todo de elogios. Terminada a avaliação, ela me parabenizou, me revelando confidencialmente que eu era o seu melhor funcionário e que o meu aumento salarial era o maior do departamento.

Queridos, eu tenho certeza que vocês se identificam totalmente com o testemunho acima. Sei disso porque esta estratégia de Satanás é antiga, afetando até grandes nomes da história do povo de Deus, como Abraão e o medo dos egípcios (Gn 12:12); Moisés e o medo dos israelitas (Êx 17:4); Davi e o medo do rei Aquis (1Sm 21:12); Elias e o medo de Jezabel (1Rs 19:3)… e muitos outros. Todos eles eram seres humanos como nós, sujeitos à sugestões do diabo que nos causam frequentes preocupações e medo; medo que não se baseia em fatos, mas sim em mentiras. Elias, por exemplo, estava convencido que era o último sobrevivente entre os profetas de Deus: “mataram os teus profetas à espada; e eu fiquei só, e buscam a minha vida para ma tirarem” (1Rs 19:10b). A princípio o Senhor ignorou o argumento sem base do seu servo e lhe deu a sua nova missão, mas no final do diálogo resolveu acordá-lo para a realidade: “Sim, também eu fiz ficar em Israel sete mil” (1Rs 20:18). Em outras palavras, por mais certo que lhe parecia a gravidade da sua situação, uma boa parte não passava de uma grande preocupação infundada: ele não era o último dos profetas.

É importante que eu mencione neste estudo – que tem como foco expor as táticas de Satanás – que o inimigo utiliza desta estratégia em todas as áreas da nossa vida, como nos relacionamentos, nas finanças, mas de uma forma muito especial em relação à nossa saúde. Com a sua habilidade de transformar as suas mentiras em realidades, na nossa mente fraca cada cansaço é um ataque cardíaco, cada marca de sol é câncer de pele, cada dor de cabeça é um aneurisma, no braço é derrame, no corpo inteiro é leucemia… e a lista nunca termina. O cristão que dá ouvidos a todas as mentiras de Satanás morre pelo menos três vezes por semana. Vocês sabem muito bem do que estou falando.

Jesus veio para nos dar uma vida muito além daquilo que podemos imaginar: a vida em abundância. Obviamente, a plenitude, ou seja, o cumprimento final dessa promessa de uma vida perfeita, ocorrerá quando finalmente deixarmos este mundo presente. Por enquanto nos encontramos em um planeta cujo a maioria dos residentes ainda tem o diabo como o seu príncipe (Jo 12:31; 14:30; 16:11). Enquanto estivermos neste mundo, estamos morando em terreno inimigo (ver estudos: vivendo em terras invadidas parte 1 e parte 2) e não existe como livrarmos por completo desses ataques diários de Satanás e seus auxiliares; tanto os auxiliares espirituais como aqueles em carne e osso. Mas se não podemos eliminar os ataques, podemos sim nos fortalecer de tal forma que eles não tenham o efeito que o inimigo gostaria (Ef 6:11).

Queridos, uma grande defesa contra este tipo de ataque é simplesmente estarmos a par da sua existência. Esta série foi escrita com este objetivo. Fiquemos atentos. Quando começarmos a perceber que uma preocupação está se formando na nossa mente, paremos e pensemos se este temor procede da verdade ou se de meras sugestões diabólicas. A mente do cristão deve estar sempre ciente de que existe uma força maléfica que nos é contrária. Foi isso o que o nosso irmão Pedro quis dizer quando nos escreveu: “Estejais atentos, vigiai. O vosso adversário, o Diabo, anda em derredor, rugindo como leão, e procurando a quem possa devorar” (1Pe 5:8).

Irmão, termino lembrando que estarmos atentos é apenas parte da defesa. A outra parte é colocarmos a nossa fé em ação: “Resistam-lhe e fiquem firmes na fé!” (1Pe 5:9a). A fé que nos fortalece é a fé no poder do Nome que é superior a todos os demônios juntos: Jesus Cristo. A minha fé é colocada em ação desta forma: quando sinto que estou sendo um alvo desta estratégia do inimigo (e sou com muita frequência) começo a clamar pelo nome de Jesus em sussurros: “Jesus Cristo me ajude!”, “Ó meu Jesus, tem misericórdia de mim!” (Jl 2:32a; Sl 116:4; 142:5; 2Sm 22:17-18). Rapidamente já sinto o alívio, à medida que os demônios são obrigados a se afastar por causa do Nome (Lc 10:17). Acreditem! O Senhor sempre enviará socorro imediato a todo aquele que o ama e obedece às suas palavras (Sl 145:18). Fiquem firmes. O nosso tempo nesta terra invadida está terminando. Espero te ver no céu.

Nesta Série de Estudos Bíblicos: