🔊 (Parte 11) Serie: Combatendo as Forças Espirituais. Estudo Nº 11: Resistência e Contra-ataque (A Prática da Palavra) [Com Áudio]

Serie: Combatendo as Forças Espirituais. Estudo Nº 11: Resistência e Contra-ataque (A Prática da Palavra) [Com Áudio]

Baixar Áudio Baixar Áudio | Baixar PDF Baixar PDF

Por Markus DaSilva, Th.D.

O nosso Criador é perfeito em tudo aquilo que faz. É difícil imaginar como o plano de salvação estabelecido por Deus poderia ser transmitido de pessoa para pessoa desde os dois primeiros seres humanos no jardim do Éden, cerca de 6000 anos atrás, até a nós, se o Senhor não tivesse providenciado aquilo que conhecemos como a Palavra de Deus, ou as Sagradas Escrituras, ou simplesmente: a Bíblia. A Palavra de Deus que conhecemos hoje, com o cânon atual cuidadosamente dirigido pelo Senhor, é um verdadeiro milagre em si mesma. Milagre não apenas porque esta obra divina sobreviveu até aqui, inicialmente de forma oral e depois de forma escrita, mas também porque milhões de pessoas, todos os dias, moldam o seu viver, pelo menos em parte, baseando-se nos seus ensinamentos. Fazem isto porque reconhecem que existe algo de diferente no conteúdo deste livro (Heb 4:12; Jr 23:29; Is 55:11; Sl 119:130). Reconhecem que as páginas ali escritas contêm informações cruciais para que possam obter aquilo que mais desejam: viver. Não viver para poder respirar, pensar e caminhar, pois ninguém precisa das instruções de Deus para estas coisas básicas, mas sim viver de tal maneira que a sua existência no universo faça algum sentido. Uma vida com propósito presente e recompensa eterna: “eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10:10). “Eis que cedo venho e está comigo a minha recompensa, para retribuir a cada um segundo a sua obra” (Ap 22:12).

“O nosso Pai não nos deu as Escrituras para que simplesmente tomássemos conhecimento das verdades que nos salva, mas sim para que as colocássemos em ação”.

Na batalha espiritual que está sendo travada neste exato instante entre as forças do bem e as forças do mal, o inimigo tem procurado desacreditar a Bíblia utilizando de todos os meios ao seu dispor. À medida que o fim se aproxima e a ciência se multiplica (Dn 12:4), temos vistos os soldados das trevas surgirem de todos os lados, como ervas daninhas no campo. Homens, mulheres, idosos e jovens, alguns quase crianças, de todas as raças e línguas, aparecem nas redes diariamente blasfemando contra o Altíssimo, procurando remover a sua poderosa Palavra da sociedade (2Tm 3:2). Não conseguirão. Assim como tentativas similares no passado falharam, esta também falhará. A paciência de Deus possui um limite e no momento certo, o Senhor fechará as suas bocas blasfemas permanentemente (Prv 6:15; Prv 29:1).

O exército inimigo ataca a Palavra de Deus de duas formas diferentes, dependendo do seu alvo. Quando Satanás e suas tropas estão se movimentando contra a população em geral, a sua estratégia é desacreditar as Escrituras como um todo, conforme mencionado acima. Quando o alvo do inimigo é os cristãos, todavia, o Diabo raramente procura desacreditar a Bíblia, pois sabe muito bem que teria pouco sucesso em convencer a igreja de Cristo — por mais fraca que ela se encontre nos nossos dias — que não se deve crer na Palavra de Deus. O seu ataque é então concentrado em procurar remover a seriedade do seu conteúdo; em convencer os cristãos de que Deus não espera que eles realmente sigam tudo o que ali foi escrito. Esta é uma técnica antiga, a mesma usada contra Eva no Éden: “Disse a serpente à mulher: Certamente não morrerás” (Gn 3:4). Ele procura fazer com que os cristãos considerem as Escrituras apenas como uma espécie de um manual de bons princípios, e que o seu autor, Deus, deseja tão somente que aprendamos a viver felizes e em paz uns com os outros nesta vida.

A Bíblia então passa a ser uma lista de objetivos a serem almejados, mas não atingidos. Um livro de Instruções que Deus nos deu, de grande valor para a vida do cristão, mas que todos sabem que não são instruções para serem realmente obedecidas. Quanto às consequências de desobedecermos às instruções de Deus, também contidas nas Escrituras, o inimigo tem conseguido com grande sucesso fazer com que o povo cristão não as leve muito a sério, argumentando que todas as severas punições mencionadas na Palavra de Deus serão desconsideradas e anuladas pela sua graça (Lc 13:25; Mt 7:22-23; Mt 8:11-12; Mt 25:41). Este falso evangelho, contrário às palavras de Jesus, é ensinado com toda a alegria e fervor por um grande número de igrejas apóstatas nestes dias finais: “Eles são do mundo, por isso falam como quem é do mundo, e o mundo os ouve” (1Jo 4:5). [Acesse Estudo Sobre a Graça]

Queridos, a Palavra de Deus nos foi dada para ser lida e praticada. Estar a par do conteúdo da Bíblia, mas não viver aquilo que ela ensina, não ajudará ninguém na sua batalha diária. O nosso irmão Tiago foi bem claro quanto à inutilidade de ler ou ouvir a Palavra, mas não levar a sério ou não praticar aquilo que leu: “E sedes praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Pois se alguém é ouvinte da palavra e não praticante, é semelhante a um homem que olha o seu rosto no espelho e vai-se, e logo se esquece de como estava a sua aparência” (Tg 1:22-24). Ou seja, os conhecimentos que o soldado de Deus tanto precisa para sair um vencedor nas suas lutas diárias são logo esquecidos, da mesma forma que uma pessoa que se olha no espelho por alguns segundos, talvez apenas para checar se o cabelo está em ordem, não terá conhecimento de qualquer outro retoque necessário na sua aparência.

Para o cristão que realmente deseja se fortalecer contra os ataques do inimigo a leitura e a prática da palavra não são opcionais. Sim, Deus se comunica com os seus filhos de outras formas além da leitura da Bíblia, mas ela nos foi dada exatamente para que tivéssemos acesso às suas instruções de uma maneira clara e sem as tendências e opiniões comuns quando a ouvimos através de intermediários; quando a ouvimos de simples seres humanos (me incluo neste grupo). Ou seja, ouvir a Palavra de Deus através de sermões, estudos bíblicos ou louvores não deve ser substituto para a sua leitura regular.

Você deve ler a Bíblia todo o momento que lhe for possível (2Tm 3:16). Hoje em dia é muito fácil com tantos sites e aplicativos disponíveis. Se for mais conveniente, ouça no seu celular. Eu pessoalmente nunca paro de ler ou ouvir a Bíblia em casa, no trabalho, ou no carro. Às vezes leio ou ouço livros de autores que comentam a Bíblia, mas a própria Bíblia Sagrada é o meu livro favorito. Estou sempre aprendendo algo novo, embora não sei quantas vezes já li a Palavra de Deus.

Não pensem vocês que sempre foi assim. Alguns anos atrás, os meus livros favoritos eram os de ficção científica. Não só livros, mas também filmes e seriados. Não perdia uma série. Também esporte. Amava todos eles. Sem mencionar as músicas seculares. Quanto à minha esposa, ela possuía centenas de livros de romances. Até que um dia acordamos, ou melhor, Deus nos acordou, para a realidade. Achávamos que éramos bons cristãos, mas amávamos o mundo e estávamos cada vez mais nos distanciando de Jesus. O que quero dizer é: somos seres humanos como vocês. Se conseguimos, qualquer um consegue. Lembrem-se: “Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus” (Mt 4:4).

Mas voltando à importância de praticar a Palavra e não somente ler ou ouvir o seu conteúdo. Notemos que Jesus no verso acima menciona duas coisas essenciais para que o homem viva: o pão e a Palavra que sai da boca de Deus. Para que possa viver fisicamente o homem precisa se alimentar do pão físico e para que possa viver espiritualmente ele precisa da Palavra de Deus, que é o alimento espiritual. Se o homem apenas tomar conhecimento de como o pão é feito; se ele souber em detalhes todos os ingredientes e medidas necessárias para se fazer um pão e a temperatura ideal do forno; se ele souber tudo isso, mas não se empenhar em adquirir e misturar os itens conforme a receita, não moldar a massa e não colocá-la em um forno, de nada servirá o seu conhecimento, ele continuará com fome e no final morrerá de mal nutrição. Cheio de conhecimento, porém, morto por falta de alimento.

Amados, existe uma razão que Deus nos deu a sua Palavra, apenas uma razão, que é que ao aceitarmos as suas verdades sejamos libertos da condenação do pecado que paira sobre todos os seres humano: “e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo 8:32). Se o indivíduo ler o evangelho, mas não obedecer às palavras de Jesus, a sua leitura foi em vão. Se ele sabe que para ser salvo terá que negar a si mesmo, dizer não aos desejos da carne, mas não o faz, em que base espera obter a salvação? “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz, e siga-me” (Lc 9:23). Se ele sabe que para seguir a Cristo precisa amá-lo acima de tudo neste mundo, mas não o faz, como espera receber uma morada com o Pai? “Se alguém vier a mim, e não me amar mais que a pai e mãe, a mulher e filhos, a irmãos e irmãs, e ainda também à própria vida, não pode ser meu discípulo” (Lc 14:26). Se ele sabe que a única forma de obter a vida eterna é desprezando a sua vida presente, mas não o faz, como imagina viver eternamente com Jesus? “Quem ama a sua vida, perdê-la-á; e quem odeia a sua vida neste mundo, guardá-la-á para a vida eterna” (Jo 12:25).

Irmãos, a batalha espiritual entre as forças do bem e as forças do mal, é uma batalha real, e se o cristão, quando acabar a sua rápida passagem por este planeta, espera terminar as suas lutas do lado do Senhor ele terá que tomar uma decisão firme quanto a praticar a Palavra de Deus. O nosso Pai não nos deu as Escrituras para que simplesmente tomássemos conhecimento das verdades que nos salva, mas sim para que as colocássemos em ação na nossa vida, abandonando tudo neste mundo que não condiz com a vida de quem espera um dia herdar o Reino de Deus. Lembrem-se também que cada indivíduo será responsável pelas decisões que tomar. Ninguém será perdoado de desobedecer à Jesus simplesmente porque seguia os ensinos da sua igreja ou os exemplos dos seus amigos e líderes. A verdade das palavras de Jesus salvará aquele que a pratica e condenará aquele que a ignora. Espero te ver no céu.

Nesta Série de Estudos Bíblicos: