(Parte 2) As 12 Táticas de Satanás Contra o Cristão – Satanás e a Substituição da Obediência Pelas Atividades Religiosas.

Estudo Bíblico - Satanás e a Substituição da Obediência Pelas Atividades Religiosas.

Por Markus DaSilva, Th.D.

Todos nós cristãos praticamos atividades que estão ligadas à nossa fé. Refiro-me a todas as coisas que fazemos regularmente e que são importantes para o nosso crescimento espiritual individual e para o avanço da obra de Deus como um todo. Com o tempo, desenvolvemos a nossa rotina cristã semanal. Algumas destas atividades inclui os dias de cultos, as nossas funções na igreja, as reuniões administrativas, pequenos grupos e células, escolas bíblicas, encontros, programações especiais… e muito mais. Além das atividades em grupo, também tem tudo aquilo que fazemos para o Senhor a sós e com os nossos familiares. Não consigo imaginar um cristão que não tenha as suas atividades religiosas pré-determinadas. Certamente que a minha família e eu, assim como vocês, temos a nossa rotina para tudo o que fazemos que é voltado exclusivamente para a nossa fé em Jesus.

Estudo Bíblico Nº 2 – Satanás e a Substituição da Obediência Pelas Atividades Religiosas.

Uma tática muito usada pelo inimigo contra o cristão, e difícil de perceber, é fazer com que ele ofereça muito do seu tempo e dinheiro a Deus, mas mantenha o seu amor pelas coisas do mundo, desobedecendo assim ao Senhor: “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele” (1Jo 2:15). Ele imagina que a aprovação do Senhor será obtida através de um bom desempenho em todas as suas atividades religiosas. Quando os problemas surgem, e uma maior interferência divina se torna necessária, uma das primeiras coisas que vêm à sua cabeça é a de que ele está deixando a desejar como um bom cristão e de que ele precisa melhorar a sua performance. Pensa em coisas como ir a mais de um culto na semana, ajudar mais nos departamentos, aumentar a oferta, participar de uma vigília ou talvez comprar uma bíblia de estudo mais avançada. Note bem que o seu amor ao mundo e às coisas que há no mundo não lhe aparece como um obstáculo entre ele e Deus, mas sim as suas atividades religiosas.

“Amar a nossa vida é satisfazer a fome do homem carnal, o velho homem que morreu quando nascemos do Espírito.”

Apesar de dedicar uma boa parte do seu tempo e dinheiro nas atividades religiosas, ele ainda ama desesperadamente a sua vida aqui na terra e não tem o interesse em abandonar por completo as coisas que lhe dão prazeres. Ele raciocina: “Todos na igreja também gostam disso, não tem nada a ver. Já faço muito para Deus”. Infelizmente, porém, Jesus não deixou espaço para uma dedicação parcial, ainda que a pessoa tenha uma agenda religiosa lotada: “quem ama a sua vida, irá perdê-la; e quem neste mundo odeia a sua vida, irá guardá-la para a vida eterna” (Jo 12:25).

Quem ama a sua vida, irá perdê-la. Amar a nossa vida é satisfazer a fome do homem carnal, o velho homem que morreu quando nascemos do Espírito (Jo 3:6). Quem assim age está na realidade escolhendo este lado da vida, o lado passageiro, e, portanto, não herdará a vida eterna, irá perdê-la (Luc 16:25). O fiel servo de Deus, por outro lado, perdeu a sua vida no mundo presente; ele sacrificou todos os prazeres que este mundo oferece e preferiu aguardar pela fé aquilo que o Senhor prometeu aos seus filhos (Mat 19:29; 1Co 2:9; Heb 11:35b). Na verdade, ele quer tanto ir morar com o Senhor que ele odeia o fato de ainda ter que viver neste mundo de pecado, onde tudo ofende ao Espírito Santo que habita dentro dos filhos de Deus. Isso foi o que Jesus quis dizer quando disse: “e quem neste mundo odeia a sua vida, irá guardá-la para a vida eterna” (Jo 12:25).

Irmãos, esta tática de Satanás é realmente difícil de ser percebida, e o motivo é que estamos falando aqui de atividades ligadas ao nosso relacionamento com Deus; estamos tratando de coisas que em si mesmas são boas e necessárias para o nosso crescimento espiritual. Por esse motivo, torna-se difícil perceber que o cristão está oferecendo, não a obediência que Deus pede, mas sim algo  que o homem mesmo determinou.

Esta estratégia do inimigo é muito eficaz e antiga. Logo após a criação, Satanás já começou a obter grandes resultados convencendo os filhos de Deus a oferecer algo bom, mas não exatamente aquilo que Deus pede. Caim, foi uma das suas primeiras vítimas ao trazer para Deus o fruto do seu trabalho. Desde que o pecado entrou no mundo, o Sangue de Jesus deveria ser a única forma do homem estar em paz com Deus. O sangue do animal inocente simbolizava o sangue do verdadeiro Cordeiro que tira os pecados do mundo (Lev 17:11; Heb 9:22). Quando chegou o dia de trazer a sua oferta ao Senhor, Caim apresentou não o que Deus pediu, mas sim aquilo que imaginou agradar a Deus (Gn 4:3); Sendo agricultor, ele ofereceu aquilo que possuía em abundância, o fruto da terra… Caim ofertou aquilo que o seu coração determinou ser o correto, mas o Senhor o recusou (Gen 4:5; Heb 11:4).

O Cristão pode oferecer a Deus horas e horas do seu tempo, dinheiro e mais dinheiro do seu bolso, coisas maravilhosas, grandes sacrifícios, mas de nada valerá se negligenciar a obediência: “Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em ofertas queimadas e sacrifícios, como em que se obedeça à voz do Senhor?” (1Sm 15:22).

Irmãos, conforme já disse em um outro estudo, o verdadeiro servo de Deus; aquele que realmente O ama, está continuamente procurando obedecer ao Senhor em absolutamente tudo (Jo 14:15). O servo fiel mantém o seu ouvido atento à voz do seu querido Mestre. A maior alegria do seu coração é quando o Senhor lhe pede por algo, pois, dessa forma pode agradar ao seu amado Criador; não oferecendo aquilo que o coração determina, mas exatamente o que foi pedido (Mat 24:46-47). Esse é o seu prazer, esse é o seu foco.

Amados, o Senhor não procura uma boa parte do seu tempo; uma boa parte do seu dinheiro; uma boa parte do seu coração; uma boa parte do seu amor. Isso porque a nossa salvação não custou uma boa parte do que Deus possuía. Em Jesus, Deus entregou a Si próprio; em Cristo, o Senhor sacrificou tudo (2Co 5:19; Jo 3:16; Jo 10:30; Rom 5:10).

Queridos, não se ofendam com este estudo. Desejo muito que vocês sigam fazendo tudo aquilo que já fazem para a obra de Deus e muito mais. Gostaria, porém, que o fizessem como algo que flui naturalmente do coração de alguém que já morreu para este mundo e que vive somente para Cristo, em total obediência às suas palavras: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama” (Jo 14:21). Que seja assim com todos vocês, para que as suas boas obras subam como um doce aroma ao Senhor, o qual reserva grandes bênçãos para todo o filho fiel neste tempo presente, e bênçãos muito superiores naquele grande dia. Espero te ver no céu.

Nesta Série de Estudos Bíblicos: