(Parte 5) As 12 Táticas de Satanás Contra o Cristão – Satanás e a Substituição da Obediência Pelas Doutrinas Secundárias.

Estudo Bíblico - (Parte 5) As 12 Táticas de Satanás Contra o Cristão - Satanás e a Substituição da Obediência Pelas Doutrinas Secundárias - Markus DaSilva

Por Markus DaSilva, Th.D.

A palavra “doutrina” é simplesmente uma variação da palavra “ensino” do grego διδασκαλία (didaskalia – substantivo), e vem de διδάσκω (didaskó – verbo: Ensinar, Instruir). É dessa mesma fonte que temos a palavra “didática” no português. Em uma de suas cartas a Timóteo, Paulo lhe explicou que “toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar (didaskalian), para repreender, para corrigir, para instruir em justiça” (2Tm 3:16). A Bíblia Sagrada consiste em grande parte de doutrinas, ou seja, de ensinamentos quanto ao nosso relacionamento com Deus, o nosso Criador. É apenas quando lemos e estudamos estes ensinamentos que aprendemos sobre Deus e podemos então tomar decisões conscientes de suma importância para a nossa vida presente e ainda mais importantes para a nossa vida futura.

Estudo Bíblico Nº 5 – Satanás e a Substituição da Obediência Pelas Doutrinas Secundárias.

Todas as doutrinas (ensinos) da Bíblia são inspiradas por Deus, mas nem todas estão no mesmo grau de importância, pois se fosse esse o caso teríamos que aprender e aplicar com exatidão todas elas para atingirmos o nosso objetivo que é a nossa salvação. Podemos averiguar, no entanto, que as próprias Escrituras Sagradas nos dão exemplos em que um conhecimento detalhado de todas as doutrinas não é uma exigência para ser salvo. Talvez o maior desses exemplos é a experiência do criminoso que foi crucificado ao lado de Jesus, cujo único requisito para se salvar foi reconhecer a autoridade de Cristo e pedir: “Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino” (Lc 23:42-43).

“Se o pecador tão somente crê em Jesus como o seu Salvador, e obedece às suas palavras, ele se salvará, ainda que não tenha tido a oportunidade de aprender sobre qualquer outra doutrina das Escrituras”

Classifico então as doutrinas da Bíblia como doutrinas primárias e secundárias. Primárias são as doutrinas cujo aprendizado e aplicação causam um impacto direto na salvação ou perdição da pessoa. As demais doutrinas são secundárias. Obviamente não quero dizer com isso que todas as doutrinas secundárias estão no mesmo nível de importância, mas quero dizer sim que todas elas não devem, em hipótese alguma, serem tratadas com a mesma gravidade que os ensinos cujo entendimento e cumprimento removem a condenação que paira sobre todo o pecador e o leva à vida eterna (Gl 3:22).

Segundo o próprio Senhor, para se salvar, o ser humano precisa cumprir apenas dois requerimentos: crer e obedecer: “Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, porém, desobedece ao Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus” (Jo 3:36). Se o pecador tão somente crê em Jesus como o seu Salvador, e obedece às suas palavras, ele se salvará, ainda que não tenha tido a oportunidade de aprender sobre qualquer outra doutrina das Escrituras. Essa é uma verdade incontestável. Também incontestável é o oposto, ou seja, ainda que o indivíduo aprenda e pratique fielmente centenas de doutrinas bíblicas, se ele negligenciar a fé e a obediência às palavras de Jesus ele não terá a vida eterna: “E por que me chamam de Senhor, Senhor, e não fazem o que lhes digo?” (Lc 6:46). Mais claro impossível.

Uma tática que Satanás usa com frequência contra o cristão é exatamente esta. O inimigo incentiva de várias formas que a pessoa se interesse exageradamente por uma, duas, ou mais doutrinas secundárias e não dê tanta importância a obedecer às palavras do Senhor. Estes cristãos passam horas e horas pesquisando e debatendo sobre estas doutrinas e se envolvem em acaloradas discussões. Frequentemente o amor pelo irmão é deixado de lado e até ofendem uns aos outros, esquecendo das palavras do Senhor: “Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros” (Jo 13:34).

Aqui, um exemplo. Nos dias dos apóstolos, uma doutrina muito popular era a genealogia bíblica, que consiste de pesquisar a descendência das pessoas, procurando descobrir se alguém é desta ou daquela família e tribo de Israel; se ele possui alguma conexão com a nobreza… e coisas semelhantes. Debatiam sobre genealogia e também sobre as leis do velho testamento. Escrevendo a Tito e a Timóteo, Paulo foi categoricamente contra tudo isso: “Mas evita questões tolas, genealogias, contendas e debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs” (Tt 3:9; 1Tm 1:4).

Aqui, um outro exemplo de doutrina secundária que continua relevante até os dias atuais. Por séculos e séculos têm-se debatido no meio cristão sobre a ordem dos eventos dos últimos dias (escatologia), mais especificamente sobre a doutrina do milênio. Literalmente, milhares de livros já foram escritos sobre essa doutrina. Uma parte desses livros defende que os mil anos mencionados no capítulo 20 de Apocalipse precede a volta de Cristo (pré-milenismo); outra parte que os mil anos ocorrerão posterior ao retorno de Cristo (pós-milenismo); e ainda outra parte, insiste que este período é apenas uma linguagem simbólica (amilenismo). Nenhuma dessas posições é importante para a salvação de sequer uma alma. No juízo final, jamais alguém ouvirá: “Você creu em Jesus, você obedeceu fielmente às suas palavras, mas infelizmente o seu entendimento do milênio estava errado e, portanto, não entrará no Reino de Deus!”

Queridos, vocês sabem muito bem que eu não estou dizendo de forma alguma que devemos restringir o estudo da Palavra de Deus. Eu e a minha esposa estudamos a Bíblia praticamente o tempo todo, e estou sempre incentivando os outros a fazerem o mesmo. Leiam, meditem, pesquisem e aprendam da Bíblia, mas sempre dando prioridade aos ensinos que levam à salvação, e muito especialmente os que vieram diretamente da boca de Jesus nos quatro evangelhos. Digo isso porque muito do que foi escrito no velho testamento, Jesus nos explicou, colocando algumas passagens dentro dos seus devidos contextos, estabelecendo prioridades, e atualizando e esclarecendo outras (Mt 19:8-9; Mt 5:17; Mt 5:27-28; Mt 5:38-39; Mt 5:43-44; Mt 15:11). Lembrem-se que toda a Bíblia fala de Cristo e que tudo o que existe foi feito por Ele: “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim” (Jo 5:39; ver também Lc 24:27; Cl 1:16 e Jo 1:3-4).

O objetivo deste texto, é que vocês fiquem a par desta tática muito usada por Satanás e não caiam na sua armadilha. A fé e a obediência: crer em Jesus e andar em completa obediência às suas palavras. Esses são os ensinos que devem dominar todos os outros. Um dos motivos que existem tantas denominações é exatamente porque muitos caíram nessa cilada do diabo e passaram a exaltar as doutrinas secundárias além do que deviam. Já disse e volto a dizer que todos os ensinos da Palavra são bons e merecem a nossa atenção, mas os maiores de todos, e aqueles que Deus quer que nos concentremos, são os que vem do nosso querido Jesus, conforme o próprio Pai nos disse: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; escutai-o!” (Mt 17:5b). Espero te ver no céu.

Nesta Série de Estudos Bíblicos: